Busca avançada
Ano de início
Entree

Soroprevalência da hepatite delta no Noroeste Paulista

Processo: 17/03977-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2018 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Márcia Maria Costa Nunes Soares
Beneficiário:Márcia Maria Costa Nunes Soares
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Regina Célia Moreira
Assunto(s):Transmissão de doença infecciosa  Hepatite D  Vírus Delta da hepatite  Hepatite B  Prevalência 

Resumo

As Hepatites virais constituem um grave problema de saúde pública e pode ser causada por diversos agentes etiológicos. Estão amplamente distribuídas no mundo e a prevalência varia nas diferentes regiões. A coinfecção ou superinfecção pelo vírus da hepatite D (VHD) é uma ocorrência muito temida nas áreas onde a hepatite B é comum. São José do Rio Preto está entre as três regiões com maiores taxas de migração no Estado de São Paulo, o que faz com que haja grande circulação e disseminação das mais variadas doenças e seus agentes etiológicos. O presente projeto tem o objetivo de avaliar a ocorrência de Hepatite Delta em pacientes portadores de hepatite B, que são acompanhados por meio de exames de Carga Viral do vírus, realizados pelo Centro de Laboratório Regional Instituto Adolfo Lutz de São José do Rio Preto - X (CLR IAL SJRP). Os pacientes durante a visita de rotina serão devidamente esclarecidos sobre o objetivo do projeto e apresentando concordância em participar, assinarão o Termo de Consentimento Livre e esclarecido, no qual constarão todas as informações necessárias para o paciente, que também responderá o questionário epidemiológico. Após, será coletada amostra de sangue, conforme rotina de acompanhamento do paciente, que será enviada ao CLR IAL SJRP, processada e armazenada para os testes de rotina e também para sorologia de Hepatite Delta. Será aplicado um questionário com questões para identificação de fatores e comportamentos de risco, bem como histórico de residência dos pacientes, para identificação de possíveis rotas de transmissão. Os médicos, que acompanham cada paciente, receberão os resultados, e serão responsáveis pela comunicação e esclarecimentos que se fizerem necessários. Ao final do estudo, espera-se identificar a ocorrência da hepatite Delta em pacientes portadores de hepatite B residentes no Noroeste Paulista e colaborar para a decisão de medidas preventivas da doença além de aprimorar o planejamento do tratamento nos serviços de saúde. (AU)