Busca avançada
Ano de início
Entree

Diagnóstico da infecção de Biomphalaria glabrata por Schistosoma mansoni em área de baixa endemicidade, no estado de São Paulo, pela detecção de esporocistos primários, utilizando técnicas de biologia molecular

Processo: 16/23742-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2018 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Maria Cristina Carvalho Do Espírito Santo
Beneficiário:Maria Cristina Carvalho Do Espírito Santo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Fabiana Martins de Paula ; Marcia Oliveira Casotti ; Michele Soares Gomes Gouvêa ; Ronaldo Cesar Borges Gryschek ; Roseli Tuan
Assunto(s):Vigilância epidemiológica  Esquistossomose mansoni  Schistosoma mansoni  Biomphalaria glabrata  Técnicas de diagnóstico molecular  Reação em cadeia por polimerase (PCR) 

Resumo

A esquistossomose mansoni afeta aproximadamente 240 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, está presente em 19 unidades federadas e um dos objetivos do Programas de Controle da Esquistossomose (PCE) é o de reduzir o risco de expansão geográfica. No município de Ourinhos, São Paulo, Brasil, foram registrados casos autóctones de esquistossomose mansoni, no período de 2008 a 2010, de acordo com o Centro de vigilância epidemiológica/SP (CVE/SP). A presença de Biomphalaria glabrata, como hospedeiro intermediário, as atividades laborais, culturais e ambientais, associado à possibilidade de processos migratórios populacionais cria condições favoráveis a introdução de linhagem importadas, bem como ao aumento na incidência dos casos autóctones. O objetivo desse estudo é o de desenvolver e padronizar técnicas moleculares sensíveis e específicas para detectar a infecção do caramujo B. glabrata oriundo do município de Ourinhos/SP, córrego Christoni, à uma linhagem BH de Schistosoma mansoni. Dessa forma, buscaremos padronizar as técnicas de amplificação do DNA genômico do S. mansoni, a partir de esporocistos primários, por meio da técnica de PCR (Polymerase chain reaction) convencional (cPCR) e PCR tempo real (qPCR). Trata-se, portanto, de um estudo que pode implementar a vigilância epidemiológica dessa região, por meio de uma ferramenta diagnóstica molecular mais sensível e específica, em relação à utilizada nos procedimentos padrões de vigilância atuais. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.