Busca avançada
Ano de início
Entree

A dinâmica do desenvolvimento das células germinativas caninas

Processo: 18/03810-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2018 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Daniele dos Santos Martins
Beneficiário:Daniele dos Santos Martins
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Embriogênese animal  Células germinativas embrionárias  Canis  Cães  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

Células Germinativas Primordiais (PGCs) são precursores de gametas que podem gerar novos indivíduos ao longo da vida em machos e fêmeas. Além disso, PGCs foram programadas para se diferenciar em células germinativas embrionárias (EGCs) após o cultivo in vitro. A maioria dos estudos que investiga células germinativas foram realizados em roedores e humanos, mas não em cães (Canis lupus familiaris). Assim elucidamos a dinâmica da expressão de marcadores de pluripotência (POU5F1 e NANOG), germinativo (DAZL DDX4, DPPA E3) e epigenéticos (5mC, 5hmC, H3K27me3 e H3K9me2) os quais são importantes para o desenvolvimento de células germinativas caninas masculinas durante o início (22-30 dias pós-fertilização (DPF), meio (35-40 dpf) e final (45-50 dpf) de gestação. Realizamos a caracterização genotípica de sexo, imunofluorescência, imuno-histoquímica e análises quantitativa de reação em cadeia da polimerase com transcriptase reversa (RT-qPCR). Além disso, em um estudo preliminar, avaliamos a capacidade do embrião canino (PGCs 30 dpf) para diferenciar-se em EGCs. Para confirmar o fenótipo canino da EGCs, realizamos a analises de fosfatase alcalina, detecção imuno-histoquímica, microscopia de varredura e de transmissão de elétrons e RT-qPCR. As PGCs foram positivas para POU5F1 e H3K27me3 avaliados durante todos os períodos de desenvolvimento, incluindo todos os períodos entre o tecido gonadal e estágio de desenvolvimento fetal de testículos. O número de NANOG, DDX4, DPPA, DAZL3 e 5mC-células positivas aumentou junto com o desenvolvimento dos cordões da fase de 35-50dpf. Além disso, nossos resultados demonstram que é viável induzir as PGCs caninas em EGCs, pois apresentam marcadores pluripotentes, como POU5F1 e o gene NANOG, e apresentam menor expressão dos genes germinativo e aumento da expressão do H3K27me3. Este estudo fornece novas ideias sobre os mecanismos de desenvolvimento de células germinativas masculinas em cães. (AU)