Busca avançada
Ano de início
Entree

Prevalência de depósitos de anticorpos anti-receptor tipo M da fosfolipase A2 (PLA2R) em biópsias renais por agulha de pacientes com diagnóstico de nefropatia membranosa primária e secundária

Processo: 17/19352-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2018 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Rosa Marlene Viero
Beneficiário:Rosa Marlene Viero
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados: Bruno Minoru Miamoto ; Daniela Cristina dos Santos ; Vanessa dos Santos Silva
Assunto(s):Imunopatologia  Nefropatias  Glomerulonefrite membranosa  Autoanticorpos  Receptores da fosfolipase A2  Inibidores de fosfolipase A2  Progressão da doença 

Resumo

Projeto de Pesquisa Clínica com proposta de estudar 70 pacientes com Nefropatia Membranosa primária e secundária diagnosticada por biópsia renal. Patologia frequente em nosso meio podendo apresentar remissão espontânea ou evoluir para insuficiência renal crônica. Inicialmente considerada doença imunológica por imunocomplexos circulantes similar à doença crônica do soro, estudos mais recentes tem demonstrado tratar-se de resposta autoimune à antígenos próprios expressos na membrana celular do podócito. O grupo de Salant et al15 identificaram em 70% dos pacientes com nefropatia membranosa primária autoanticorpos contra o receptor da fosfolipase A2 (PLA2R) proteína de 185-kD presente nos podócitos normais. A descoberta trouxe grandes benefícios para o tratamento e monitoramento da doença. Sendo a pesquisa positiva do anticorpo na biópsia indicativa de doença primária diminue o tempo e custo de investigação clinico-laboratorial de causas secundárias. Por outro lado, a presença do autoanticorpo no soro representa doença ativa e a sorologia negativa remissão da doença orientando desta forma o tratamento e evolução da doença. Métodos: foram selecionados 70 casos de nefropatia membranosa e 30 casos de nefrite lúpica (forma membranosa secundária-Classe V da OMS) da Disciplina de Nefrologia da Faculdade de Medicina de Botucatu (UNESP). A pesquisa do anticorpo anti-PLA2R será realizada nas biópsias e no soro pelas técnicas de imunofluorescência e Elisa. A pesquisa no soro será realizada nos pacientes em acompanhamento e em casos novos. A presença ou ausência do anticorpo será correlacionada com os dados clínicos e de evolução da doença. (AU)