Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da microbiota intestinal e de seu impacto metabólico em mulheres com obesidade, eutrofia, magreza constitucional e anorexia nervosa

Processo: 17/05305-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2018 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Marcio Corrêa Mancini
Beneficiário:Marcio Corrêa Mancini
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Maria Edna de Melo ; Paula Waki Lopes da Rosa
Assunto(s):Ácidos graxos voláteis  Epigênese genética  Microbiota  Endocrinologia  Obesidade  Anorexia 

Resumo

A obesidade e a anorexia nervosa são doenças de causas multifatoriais, identificar fatores que influenciam essas condições poderia levar a descoberta de novos alvos terapêuticos. A microbiota intestinal se apresenta como um desses fatores: diversos estudos mostram diferenças entre a microbiota de obesos e eutróficos e entre anoréxicas e eutróficas. Contudo não há estudos que avaliem a microbiota de magras constitucionais. Além disso, evidências recentes sugerem a importância da microbiota no balanço energético, atuando no sistema nervoso central por diversos mecanismos, dentre os quais está incluída a via da sinalização dos ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Os AGCC podem agir em múltiplas vias relacionadas à homeostase corporal, porém estudos que verifiquem a relação entre AGCC e genes implicados no equilíbrio energético são escassos. O objetivo deste estudo é avaliar a influência da microbiota intestinal através dos AGCC na expressão de genes relacionados com a homeostase do peso corporal em mulheres obesas, eutróficas, magras constitucionais e anoréxicas. Trata-se de um estudo transversal constituído por 80 mulheres de 18 a 35 anos (20 obesas; 20 eutróficas, 20 magras constitucionais e 20 anoréxicas). Serão avaliados parâmetros metabólicos, clínicos e consumo alimentar. A microbiota e os AGCC serão analisados em amostra coletadas por swab anal. Será avaliada a metilação de 22 genes envolvidos na sinalização dos AGCC, sendo que aqueles que apresentarem metilação diferenciada serão submetidos à análise da expressão gênica por PCR em tempo real. Para análise estatística os dados serão submetidos à verificação de distribuição normal, as diferenças nas variáveis contínuas serão calculadas através de modelos de análise multivariada, com p<0,05. (AU)