Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação da participação das proteínas IRS1 e IRS2 na hematopoese normal e síndrome mielodisplásica utilizando modelos murinos e células-tronco hematopoéticas humanas

Processo: 17/19864-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2018 - 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fabíola Traina
Beneficiário:Fabíola Traina
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Hematopoese  Transdução de sinais  Hematologia 

Resumo

A hematopoese é um processo finamente regulado por citocinas e fatores de crescimento. A regulação dessas moléculas depende, dentre outros fatores, da ação de proteínas adaptadoras citoplasmáticas, como os substratos de receptores de insulina (IRS). A ativação de IRS promove o recrutamento de proteínas efetoras envolvidas na regulação das vias JAK/STAT, PI3K/AKT/mTOR e MAPK. Estas vias de sinalização estão envolvidas na hematopoese normal e encontram-se desreguladas em neoplasias hematológicas, como a síndrome mielodisplásica, caracterizada por uma hematopoese ineficaz, que resulta em citopenias no sangue periférico. Trabalhos prévios conduzidos pelo nosso grupo de pesquisa indicam que IRS1 e IRS2 encontram-se diferencialmente expressos em neoplasias hematológicas, incluindo as síndromes mielodisplásicas e leucemias agudas. Nosso grupo também demonstrou que IRS2 é recrutado durante o processo de diferenciação eritroide, megacariocítica e granulocítica; e participa na transdução de sinal da sinalização aberrante induzida pela mutação JAK2V617F. No entanto, o papel de IRS1 e IRS2 na transdução de sinal dos receptores de fatores de crescimento hematopoéticos e sua participação na diferenciação e transformação maligna de células hematopoéticas permanece pouco explorado. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo principal, investigar a participação das proteínas IRS1 e IRS2 na hematopoese normal e mielodisplásica utilizando modelos murinos e células tronco hematopoéticas humanas. Para avaliação da hematopoese in vivo, serão utilizados modelos murinos nocautes Irs1 e Irs2 e animais submetidos a inibição farmacológica de Irs1/Irs2. Para avaliação dos efeitos da inibição dessas proteínas sobre o fenótipo de progenitores hematopoéticos humanos normais, células CD34+ serão submetidas ao silenciamento de IRS1 e IRS2 e avaliadas através de ensaios funcionais de diferenciação, capacidade de formação de colônia, proliferação e apoptose. Com o propósito de investigar o perfil de expressão de genes envolvidos na sinalização mediada por IRS em um modelo de neoplasia com hematopoese ineficaz, iremos investigar e comparar a expressão gênica de IRS1, IRS2 e genes relacionadas entre células CD34+ de indivíduos normais e de pacientes com síndrome mielodisplásica, através de PCR array. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.