Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e validação de escore para predizer resposta ao tratamento da síndrome hepatorrenal: papel da inflamação na lesão renal aguda

Processo: 17/23588-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2018 - 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Alberto Queiroz Farias
Beneficiário:Alberto Queiroz Farias
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Daniel Ferraz de Campos Mazo ; Flair José Carrilho ; Rafael Oliveira Ximenes
Assunto(s):Síndrome hepatorrenal  Inflamação  Lesão renal aguda  Lipocalina-2 

Resumo

Introdução: A síndrome hepatorrenal (SHR) é descrita como um tipo funcional de lesão renal aguda (LRA). No entanto, estudos com dosagem de biomarcadores de lesão tubular renal (neutrophil gelatinase-associated lipocalin [NGAL]) demonstraram que pode ocorrer algum grau de lesão renal estrutural em pacientes com SHR. De fato, a taxa de resposta ao tratamento da SHR com albumina e vasoconstrictores é de 20 a 50% e a presença de lesão estrutural renal grave explicaria a ausência de resposta em alguns pacientes. Foi demonstrado ainda que a relação de NGAL urinário e plasmático é um biomarcador de lesão renal mais acurado que o NGAL urinário isolado, já que este último é influenciado pela presença de inflamação e pelos níveis plasmáticos de NGAL aumentados. A inflamação sistêmica é frequentemente observada em pacientes com cirrose descompensada e pode resultar em LRA por disfunção cardiocirculatória e/ou lesão renal estrutural. Apesar de considerada uma condição funcional, a SHR é frequentemente precipitada por condições inflamatórias como sepse e hepatite alcoólica. Entretanto, o papel da inflamação e seus mediadores na SHR tem sido pouco explorados na literatura e não se sabe se contribuiriam para a lesão tubular que pode ocorrer nos pacientes não respondedores ao tratamento médico. Ademais, por motivos pouco estudados, a taxa de resposta ao tratamento da SHR com albumina e terlipressina observada nos Estados Unidos (EUA) é inferior à observada no Brasil e na Europa (20% x 50%, respectivamente).Objetivos: objetivo 1) Construir e validar um escore para predizer resposta ao tratamento da SHR, combinando biomarcadores de lesão renal aguda, inflamação alterações hemodinâmicas e função hepática. Além disso, compararemos a relação NGAL urinário/plasmático e biomarcadores de inflamação, alterações hemodinâmicas e função hepática entre pacientes com cirrose descompensada com LRA e sem LRA e entre as diferentes etiologias de LRA em cirrose (pré-renal, SHR e necrose tubular aguda [NTA]). Objetivo 2) Analisar diferenças na LRA entre pacientes com cirrose descompensada brasileiros e norte-americanos.Pacientes e Métodos: Estudo multicêntrico prospectivo observacional conduzido no Hospital das Clínicas da FMUSP e Hospital das Clínicas da UNICAMP com colaboração do Serviço de Doenças Digestivas da Universidade Yale. Para o objetivo 1, o estudo está dividido em duas coortes: coorte de desenvolvimento do escore e coorte de validação. Para o objetivo 2, será feita a comparação dos pacientes brasileiros com uma coorte de pacientes com cirrose descompensada da Universidade Yale, EUA. A coorte de desenvolvimento será formada por 224 pacientes (77 com SHR) com cirrose descompensada incluídos no Hospital das Clínicas da FMUSP entre junho de 2013 e maio de 2017. A coorte de validação será prospectivamente incluída no Hospital das Clínicas da FMUSP e da UNICAMP no período de 18 meses. A coorte de pacientes com cirrose descompensada da Universidade Yale, EUA, será formada por pacientes prospectivamente incluídos no banco de dados dessa instituição previamente. Os exames específicos do estudo são NGAL urinário e plasmático, atividade plasmática de renina e biomarcadores inflamatórios (IL-1b, IL-1ra, IL-4, IL-6, IL-8, IL-10, IL-12p70, TNF-±, IFN-³ e TFG-²). Um escore utilizando as variáveis associadas à resposta ao tratamento da SHR será construído e validado. Para os objetivos secundários, as coortes de desenvolvimento e validação serão analisadas conjuntamente. Relação NGAL urinário/plasmático, biomarcadores inflamatórios, atividade plasmática de renina e marcadores de função hepática serão comparados entre pacientes com e sem LRA e entre pacientes com LRA pré-renal, SHR e NTA. Será feita ainda a comparação de dados clínicos e laboratoriais de rotina, incidência e etiologia de LRA, tratamento oferecido e resposta ao tratamento da SHR entre pacientes com cirrose descompensada brasileiros e norte-americanos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)