Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de sistemas teranósticos híbridos

Processo: 17/21456-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2018 - 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Leila Aparecida Chiavacci Favorin
Beneficiário:Leila Aparecida Chiavacci Favorin
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Pesq. associados:Eloísa Berbel Manaia
Assunto(s):Pontos quânticos  Coloides  Liberação controlada de fármacos 

Resumo

A liberação específica de princípios ativos representa um grande desafio para o tratamento de diversas doenças, em particular o câncer. As moléculas ativas devem ser capazes de vencer barreiras que as separam do sítio de administração ou do local de ação desejado. Para isso, sistemas carreadores e de liberação controlada de fármacos vem sendo utilizados. Além da vetorização de moléculas ativas a sítios de ação específicos, esses sistemas proporcionam maior eficácia terapêutica e estabilidade diminuindo efeitos colaterais em diversos tratamentos. Os materiais que são atualmente utilizados com esta finalidade apresentam como limitação principal a baixa capacidade de carrear grande massa de fármaco. Para superar essa limitação novas classes de materiais estão sendo desenvolvidas, como as redes metalo- orgânicas e as nanocapsulas lipídicas. A pesquisa mais inovadora está na concepção de sistemas "teranósticos" que combinam uma função diagnóstica, graças à imagem, e uma função terapêutica, graças à vetorização de um princípio ativo. O objetivo desse projeto é desenvolver sistemas teranósticos híbridos, ou seja, formados por uma junção de fases a base de metais como Gd, Mn, Co, Fe e Eu com propriedades luminescentes e/ou magnéticas e um sistema orgânico de liberação, capaz de conter grandes quantidades de moléculas ativas. Dessa forma neste projeto pretende-se desenvolver e caracterizar nanocapsulas lipídicas e redes metalo-orgânicas que possuam ao mesmo tempo uma função diagnóstico e a capacidade de controlar a liberação de moléculas biologicamente ativas. De um lado serão desenvolvidas nanocapsulas lipídicas pelo método de inversão de fases de conhecida eficiência na liberação controlada e vetorização de fármacos que contenham pontos quânticos a base de óxido de zinco dopado com Mn, Co e Gd para uso simultâneo em diagnóstico por imagem e no transporte de moléculas biologicamente ativas. De outro lado, pretende-se desenvolver redes metalo-orgânicas formadas pelos íons metálicos Fe e Eu e por diferentes ligantes orgânicos como ácido tânico, ácido trimésico e ácido 1,4-benzenodicarboxílico. Os objetivos acima propostos enquadram-se no contexto de um projeto de Doutorado da aluna Marina Paiva Abuçafy, atualmente apoiado pela FAPESP, projeto n°2016/11563-4, intitulado "Cápsulas supramoleculares derivadas de redes metalo-orgânicas para liberação de fármaco". Além disso este projeto engloba ainda a continuação das atividades de pesquisa desenvolvidas pela pesquisadora responsável por esta proposta, durante um estágio de pesquisa no exterior entre 06/2016 e 06/2017, na Faculdade de Medicina da Université de Angers, em Angers-França, estágio este também apoiado pela FAPESP, projeto n° 2014/26671-1, intitulado "Desenvolvimento de sistemas teranósticos a base de ZnO e nanocapsulas lipídicas" e consiste numa complementação dos objetivos propostos anteriormente. Dessa forma, este projeto representa também a continuidade da realização de trabalhos em colaboração com a Université de Angers, o que contribuirá para a formação de recursos humanos altamente qualificados através da realização de teses e estágios de pós-doutoramento em colaboração com a Universidade francesa. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.