Busca avançada
Ano de início
Entree

Interrogativas múltiplas e edge features

Processo: 17/22560-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2018 - 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Jairo Morais Nunes
Beneficiário:Jairo Morais Nunes
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sintaxe  Interrogativas múltiplas  Edge features  Movimento-wh  Wh-in-situ 

Resumo

Interrogativas múltiplas sempre apresentaram questões desafiadoras para a teoria sintática. Por um lado, apresentam complexidades que não se seguem simplesmente do cômputo incremental de mais de uma interrogativa simples. Por outro lado, apresentam um diversidade de padrões tipológicos bem mais ampla que o encontrado em relação a interrogativas simples: algumas línguas simplesmente não permitem interrogativas múltiplas, outras línguas permitem que apenas o constituinte-wh mais alto seja fronteado e ainda outras exigem que todos os constituintes-wh sejam fronteados, dividindo-se estas últimas entre as que impõem e as que não impõem restrições de ordem em relação aos constituintes-wh fronteados (veja-se e.g. Dayal 2006 para panorama geral). Neste projeto de pesquisa, pretendo reanalisar a sintaxe de interrogativas múltiplas a partir de pesquisas recentes que venho desenvolvendo sobre edge features, traços que desencadeiam movimento cíclico sucessivo (Nunes 2013, 2014, 2016, 2017). A hipótese a ser explorada é que o complexo leque de propriedades associado a interrogativas múltiplas decorre da combinação de duas propriedades básicas, independentemente motivadas para movimento cíclico sucessivo: (i) se numa dada língua um edge feature está lexicalmente associado a um núcleo de fase (no sentido de Chomsky 2000, 2001, 2008) ou a um elemento-wh; (ii) se o edge feature é intrinsicamente valorado ou não. (AU)