Busca avançada
Ano de início
Entree

Eletromiografia de fibra única: estudo da microfisiologia de junção neuromuscular durante reinervação

Processo: 17/13262-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2018 - 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:João Aris Kouyoumdjian
Beneficiário:João Aris Kouyoumdjian
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças neuromusculares  Junção neuromuscular  Eletromiografia de fibra única  Eletrodo de agulha concêntrica  Jitter neuromuscular 

Resumo

A eletromiografia de fibra única (EMGFU) é técnica neurofisiológica desenvolvida em 1966 por Erik Stålberg na Suécia e é essencial para o estudo funcional de doenças neuromusculares que afetam a junção neuromuscular, como por exemplo, miastenia gravis. Contudo, os valores anormais do método, apesar de específicos para desordens juncionais, podem estar presentes em casos com degeneração axonal e reinervação nascente ou crônica. Durante o processo de reinervação tanto os axônios motores quanto as junções neuromusculares são refeitas e por período de até 6 meses, os valores do jitter podem estar anormalmente elevados, porém não representando desordem primária das mesmas. O objetivo do presente projeto é quantificar os valores do jitter nos músculos Extensor Digitorum ou Tibialis Anterior em pacientes que apresentam degeneração axonal com reinervação nascente ou reinervação crônica. Tais condições são encontradas em lesões traumáticas de nervos periféricos, esclerose lateral amiotrófica, sequela de poliomielite, polineuropatia inflamatória desmielinizante aguda (síndrome de Guillain-Barrè) e polineuropatia inflamatória desmielinizante crônica. As técnicas utilizadas para obtenção do jitter são: (1) contração voluntária mínima com ativação de pares de potenciais de ação de fibras musculares isoladas; (2) estimulação intramuscular microaxonal com ativação de potenciais de ação de fibras musculares isoladas. O registro é feito por meio de eletrodos de agulha concêntrico descartáveis. Os valores de jitter obtidos pelas duas técnicas serão comparados e serão extremamente relevantes para estudo da microfisiologia axonal/juncional durante a reinervação. A excitabilidade de axônios e a geração de potenciais de placa terminal nas junções neuromusculares imaturas será estudada pela técnica da estimulação de axônios motores isolados. O recrutamento voluntário de fibras musculares por axônios imaturos com geração de potenciais de placas terminais nas junções neuromusculares imaturas será estudada pela técnica voluntária. Os resultados obtidos servirão para melhor compreensão da microfisiologia de axônios e junções neuromusculares imaturas durante reinervação utilizando duas técnicas distintas, ainda não referidos na literatura. (AU)