Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de expansores maxilares ortopédicos inovadores e convencionais: um estudo clínico randomizado

Processo: 17/24115-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2018 - 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Ortodontia
Pesquisador responsável:Daniela Gamba Garib Carreira
Beneficiário:Daniela Gamba Garib Carreira
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Aparelhos ortodônticos  Imagem tridimensional  Ortodontia interceptora 

Resumo

Objetivo: O objetivo primário desse estudo será comparar, em pacientes jovens, os efeitos dentoalveolares e esqueléticos de quatro tipos de expansores maxilares ortopédicos: o expansor ósseo-suportado (EOS), o expansor com abertura diferencial (EAD), o expansor com abertura em leque (L) e o Hyrax convencional (H). O objetivo secundário será avaliar a eficácia e eficiência do alinhamento e nivelamento dos incisivos superiores permanentes após a expansão, comparando-se a mecânica convencional 4x2 e os alinhadores transparentes. Material e métodos: Uma amostra de 64 pacientes de 7 e 11 anos com atresia maxilar serão selecionados consecutivamente. Os pacientes serão alocados de forma randomizada em quatro grupos experimentais: grupo EOS composto por 16 pacientes tratados com o expansor ósseo-suportado com 2 mini-implantes; o grupo EAD composto por 16 pacientes tratados com o expansor de abertura diferencial; o grupo L composto por 16 pacientes tratados com o expansor com abertura em leque e; grupo H composto por 16 indivíduos tratados com o expansor Hyrax convencional. Após a remoção do expansor, os pacientes com apinhamento dos incisivos superiores serão novamente randomizados para tratamento com alinhadores transparentes de silicione ou aparelho fixo parcial na mecânica 4x2. A tomografia computadorizada cone-beam será realizada antes do início do tratamento (T1) e 6 meses após a expansão na ocasião da remoção do aparelho expansor (T2). Modelos dentários digitais serão obtidos em T1, T2 e T3 (após a remoção dos aparelhos alinhadores). Nas imagens de TCCB, serão mensuradas as dimensões transversais da maxila, a largura da cavidade nasal, a inclinação e o nível da crista óssea vestibular dos dentes posteriores. As imagens tomográficas tridimensionais de T2 serão registradas em T1 utilizando-se a base do crânio para visualização das alterações esqueléticas e mensuração do efeito ortopédico nos 3 planos do espaço (coordenadas x, y e z). Nos modelos digitais, serão mensuradas as variáveis largura, perímetro, comprimento e forma do arco dentário superior e índice de irregularidade de Little. Análise dos resultados: A comparação interfases e intergrupos dos procedimentos de expansão serão avaliadas por meio do teste t pareado e pela análise de Variância (ANOVA) e teste de Tukey, respectivamente (p<0,05). A eficácia e eficiência das duas mecânicas de alinhamento dos incisivos serão comparados pelo teste t independente e pelo teste do Qui-quadrado (p<0,05). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MIRANDA, FELICIA; DA CUNHA BASTOS, JOSE CARLOS; DOS SANTOS, ALEXANDRE MAGNO; VIEIRA, LUIZ SERGIO; ALIAGA-DEL CASTILLO, ARON; JANSON, GUILHERME; GARIB, DANIELA. Miniscrew-anchored maxillary protraction in growing Class III patients. JOURNAL OF ORTHODONTICS, v. 47, n. 2, p. 170-180, JUN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.