Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de fertilizante nitrogenado para aumento da eficiência de uso do n em cana-de-açúcar

Processo: 17/25566-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2018 - 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Rafael Otto
Beneficiário:Rafael Otto
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Hudson Wallace Pereira de Carvalho ; José Albertino Bendassolli ; José Lavres Junior
Assunto(s):Adubação  Molibdênio 

Resumo

A baixa eficiência de uso do nitrogênio (EUN) pela cana-de-açúcar, associada às perdas de nitrogênio (N) do sistema, apresenta riscos à sustentabilidade da produção de biocombustíveis. Estudos recentes indicaram resposta da cana-de-açúcar ao molibdênio (Mo), o que pode estar associado ao aumento na EUN, uma vez que o Mo é constituinte das enzimas nitrogenase e nitrato redutase. A adição de Mo na adubação da cana-de-açúcar passará a ser oficialmente recomendada no Estado de São Paulo, porém sua adoção em larga escala dependerá de estratégias viáveis de sua aplicação. Uma delas é a adição de Mo em fertilizantes nitrogenados, por meio do recobrimento ou incorporação das fontes de Mo aos grânulos. A hipótese deste estudo é de que a adição do Mo a fertilizantes nitrogenados irá aumentar a EUN pela cana-de-açúcar. O objetivo geral será estudar o efeito da adição de fonte solúvel e insolúvel de Mo em fertilizantes nitrogenados, tanto na qualidade dos fertilizantes, quanto no metabolismo do N e EUN pela cana-de-açúcar. Serão formulados fertilizantes a base de ureia e ureia com N (n butil) tiofosfórico triamida (NBPT), associados a fonte solúvel (molibdato de amônio) e insolúvel de Mo (trióxido de Mo em escala nanométrica). As doses de Mo irão variar de 0 a 1200 g ha-1 para fornecimento de 100 kg ha-1 N. O estudo será dividido em três fases; i) caracterização química e física dos fertilizantes; ii) avaliação das perdas de amônia por volatilização e iii) estudos em condições controladas para avaliar o metabolismo do N e EUN com o traçador isotópico 15N. Espera-se que com os resultados deste projeto vislumbre-se o desenvolvimento de um fertilizante nitrogenado que apresente menores perdas de amônia por volatilização, que seja mais aproveitado pela planta, refletindo em maior EUN e, por fim, que possa futuramente ser produzido por empresas de fertilizantes. (AU)