Busca avançada
Ano de início
Entree

Financeirização e estudos urbanos: olhares cruzados Europa e América Latina

Processo: 17/21435-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 15 de maio de 2018 - 16 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Lucia Zanin Shimbo
Beneficiário:Lucia Zanin Shimbo
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Políticas públicas  Habitação  Mercado imobiliário  Infraestrutura urbana 

Resumo

A produção do espaço urbano se alterou profundamente nos últimos trinta anos diante da implementação de agendas neoliberais de desenvolvimento econômico e de políticas públicas e do aumento da importância dos circuitos transnacionais das finanças. O setor imobiliário ganhou relevância na transformação estrutural do capitalismo contemporâneo, reconhecida por autores de diversos campos do conhecimento, como financeirização. Na América Latina, a intensificação da produção imobiliária e a expansão dos investimentos em infraestrutura têm indicado uma crescente articulação entre esses setores, impondo novos desafios para a compreensão da produção do espaço urbano. No Brasil, o forte aumento do setor imobiliário, suportado tanto pela abertura de capital de grandes empresas quanto pela política habitacional, alimentou um campo acadêmico que vem se mobilizando recentemente. Se a questão da financeirização da produção urbana está consolidada no debate europeu, a identificação das convergências e dissonâncias entre os estudos latino-americanos precisa ser amadurecida. Afinal, trata-se de uma reestruturação capitalista e de reconfiguração de cidades em nível mundial. Neste sentido, este Seminário procura cruzar os olhares europeus e latino-americanos sobre as alterações estruturais ocorridas no setor imobiliário e de infraestrutura urbana desde os anos 1970. Busca, dessa forma, apresentar trabalhos que vêm se destacando nos estudos urbanos e discutir sua articulação com as tendências do debate sobre a financerização em dois eixos: 1) Circuitos de capital, atores e conflitos na reconfiguração das cidades e 2) Estado, promoção imobiliária e valorização financeira. O programa se estrutura em dois momentos: 1) manhã: conferências de convidados internacionais, mesas redondas com convidados nacionais e internacionais e debate; 2) tarde: três Sessões Temáticas, compostas por 12 trabalhos selecionados; e conferência de encerramento e discussão sobre as questões e agendas de pesquisa. (AU)