Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprimoramento do teste sorológico e caracterização da fisiopatologia da Síndrome Baggio-Yoshinari (doença de Lyme-símile) como meios de auxiliar no diagnóstico

Processo: 17/12778-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2018 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Virgínia Lucia Nazario Bonoldi
Beneficiário:Virgínia Lucia Nazario Bonoldi
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Leandro Lara Do Prado ; Patricia Antonia Estima Abreu de Aniz ; Rosa Maria Rodrigues Pereira
Assunto(s):Sorologia  Inflamação 

Resumo

A Síndrome Baggio-Yoshinari (SBY) é uma zoonose brasileira causada por bactéria transmitida por carrapato. Apresenta inicialmente sintomas gripais e lesão de pele patognomônica no local da picada, denominada eritema migratório (EM). Na ausência de tratamento com antibióticos, a doença pode se tornar mórbida com manifestações sistêmicas, tais como artrite, meningite asséptica, neuropatia periférica, radiculite, neurite craniana, distúrbios cognitivos, encefalomielite, depressão, síndrome da fadiga crônica, distúrbios psiquiátricos, além de cardiomegalia e arritmias cardíacas. O agente etiológico da SBY está classificado no complexo Borrelia burgdorferi sensu lato, onde estão os agentes da doença de Lyme no Hemisfério Norte, porém, ao contrário destes, ainda não foi isolado e cultivado. O diagnóstico da doença é baseado na clínica, epidemiologia e sorologia. Os ensaios sorológicos utilizados são o ELISA e o Western Blotting (WB) com antígeno total da B. burgdorferi de origem americana, os quais seguem critérios próprios de interpretação, diferente do CDC (Center of Disease Control, USA), padronizados há mais de 20 anos no LIM17-FMUSP (Laboratório de Investigação Médica em Reumatologia da FMUSP). O WB tem demostrado resultados falso positivos com outras doenças infecciosas, evidenciando a necessidade urgente de aprimoramento do ensaio. Diante disso, este projeto visa selecionar pesos moleculares específicos a serem utilizados na interpretação dos resultados, tal como postula o CDC. Adicionalmente, o projeto tem como objetivo estudar a fisiopatologia das manifestações clínicas da SBY, tanto em pacientes na fase inicial da doença (< 3 meses), quanto em estágio secundário ou tardio (> 3meses), através da dosagem de citocinas. Com isso, será possível caracterizar fisiopatologicamente esta enfermidade, sugerindo novas abordagens terapêuticas nas várias fases da síndrome. (AU)