Busca avançada
Ano de início
Entree

Estrutura populacional dè Lutzomyia ssp. baseado Èm aplificacao dò ITS2 e microssatélites

Processo: 05/58051-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2006
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Beneficiário:Letícia Tsieme Gushi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/06647-9 - Aspectos moleculares na interação entre mosquito e plasmódios, AP.JP
Assunto(s):Leishmaniose visceral   Repetições de microssatélites

Resumo

A importância do estudo da população dos flebotomíneos é para potencializar o combate e a erradicação de tal moléstia, além de incentivar esforços no sentido preventivo quanto a atividades sanitárias em detrimento das práticas remediatórias hoje utilizados envolvendo sacrifícios de animais. Entretanto, têm-se acumulado evidências que sugerem a existência de um complexo e não apenas uma espécie de Lutzomyia longipalpis na natureza. O objetivo deste estudo é comparar, através de métodos moleculares, populações de Lutzomyia longipalpis provenientes de regiões geograficamente distintas, utilizando - se ITS como ferramenta taxonômica e a técnica de amplificação de microssatélites para estudar essas populações verificando a variação intra-específica e correlacionar com a capacidade vetorial e resistência a inseticidas para acrescentar ferramentas para o melhor entendimento da transmissão de leishmaniose visceral, bem como para o combate de seu vetor no Brasil. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GUSHI, Letícia Tsieme. Estrutura populacional de Lutzomya longipalpis através da amplificação e sequenciamento do segmento ribossomal 12S de DNA mitocondrial. 2008. 62 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu). Botucatu.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.