Busca avançada
Ano de início
Entree

Labareda o teu nome e mulher: elaborações do feminino a luz da pomba-gira

Processo: 05/58517-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 30 de setembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:José Francisco Miguel Henriques Bairrão
Beneficiário:Mariana Leal de Barros
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Umbanda   Psicanálise   Etnopsicologia

Resumo

As religiões afro-brasileiras atraem pesquisadores de diversas áreas das Ciências Sociais pelo seu caráter representativo da cultura popular, e, no entanto, são pouco estudadas por psicólogos. Neste trabalho, a espiritualidade umbandista é entendida como processo de reflexão da dinâmica social brasileira, sendo capaz de acolher na sua sacralidade diversas experiências sociais, inclusive a sexualidade, que se associa à entidade pomba-gira. Esta entidade trabalha com seus fiéis problemas relacionados principalmente ao sexo e ao amor. A naturalidade com que transita por estes temas favorece que as pombas-giras estejam relacionadas com a expressão livre da sexualidade, contrariando características que tradicionalmente se associam ao gênero feminino, já que representam a sexualidade desvinculada da função materna. A presente pesquisa visa investigar como e em que medida o gênero feminino é refletido pelo universo cultural umbandista por meio da pomba-gira, examinando se a figura desta entidade equaciona e reflete construções de sentidos de experiências pessoais e sociais. Para isso, utilizam-se registros audiovisuais de rituais, observação participante, entrevistas com pessoas que possuem ligação com esta entidade, além de entrevistas com as próprias pombas-giras incorporadas. Também será feita uma revisão bibliográfica da literatura antropológica e sociológica pertinente ao tema. Os dados obtidos em campo serão analisados recorrendo ao referencial da psicanálise lacaniana e da etnopsiquiatria francesa. (AU)