Busca avançada
Ano de início
Entree

Participacao do tnf_a nos mecanismos hipotalamicos de controle da fome e termogenese.

Processo: 05/59093-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2006
Vigência (Término): 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Beneficiário:Talita Romanatto Albernaz
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/09789-7 - Mecanismos pró-inflamatórios envolvidos no controle hipotalâmico da fome e termogênese - implicações para a fisiopatologia da obesidade, Diabetes mellitus e caquexia, AP.TEM
Assunto(s):Hipotálamo   Termogênese   Insulina   Inflamação   Dieta hiperlipídica

Resumo

O aumento da prevalência de obesidade em várias regiões do planeta vem se revelando um dos mais importantes fenômenos clínico-epidemiológicos da atualidade. Fatores como hábito alimentar e estilo de vida-sedentária, aliados a determinantes genéticos desempenham um papel relevante na patogênese dessa doença. Em um estudo recente demonstrou-se que o consumo de dieta rica em gordura induz a expressão de citosinas pró-inflamatórias no hipotálamo e que a inibição da via de sinalização da quinase JNK é capaz de reverter parcialmente algumas conseqüências do consumo dessa dieta. No presente estudo pretende-se avaliar qual a importância do TNF-a na gênese do processo inflamatório desencadeado pela dieta rica em gordura. Para tal, ratos Wistar tratados por 8 semanas com dieta hiperlipídica serão tratados por via icv com RNA de interferência (siRNA) para as duas formas do receptor de TNF-a (tipo I e II) e então serão avaliados parâmetros clínico-metabólicos como ingestão alimentar, variação da massa corpórea, adiposidade, e consumo de O2/produção de CO2. Serão ainda avaliadas as expressões locais de IL-1b, IL-6, IFN-g e IL-10 no hipotálamo e as respostas fisiológicas e moleculares a dois hormônios, insulina e leptina. Acredita-se que avanços na caracterização dos mecanismos pró-inflamatórios hipotalâmicos em animais obesos possam evidenciar novos alvos para abordagens terapêuticas da obesidade além de contribuir para elucidação de eventos que participam da gênese dessa doença. (AU)