Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito antiinflamatorio de dietas suplementadas com fibras em ratos submetidos a colite ulcerativa e a ulcera duodenal.

Processo: 05/58263-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2006
Vigência (Término): 31 de março de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:Alba Regina Monteiro Souza Brito
Beneficiário:Anderson Luiz Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Colite   Fibras

Resumo

Doenças gastrointestinais são, em linhas gerais, complexas e obscuras. Às doenças inflamatórias intestinais (DII), referem-se à: Doença de Crohn e à Colite Ulcerativa, ambas caracterizadas, principalmente, por um processo inflamatório crônico no intestino de humanos e infiltração de células inflamatórias no trato gastrintestinal. As DII têm sido objeto de extensas pesquisas nos últimos anos. Devido à indefinição sobre a etiologia dessas doenças não há um tratamento totalmente eficaz. Antibióticos, derivados de salicilatos, corticosteróides, imunossupressores e, mais recentemente, terapia anti-TNF-α fazem parte do arsenal terapêutico para essa doença. No entanto, essas drogas podem apresentar vários efeitos colaterais e o tratamento é de custo elevado. Nesse contexto, fibras alimentares são alternativas terapêuticas interessantes, visto que estudos mostraram que uma dieta alimentar rica em fibras pode melhorar a qualidade de vida do paciente com colite ulcerativa e/ou doença de Crohn, pois a fermentação das fibras pelas bactérias eólicas produz ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Os AGCCs, principalmente butirato, são metabolizados pelos colonócitos, sendo a principal fonte de energia da mucosa eólica. A redução desses ácidos pode produzir danos à mucosa eólica, como na colite e ou/doença de Crohn. Desta forma, maior disponibilidade desses ácidos melhoraria a integridade da mucosa eólica, o que contribuiria para a redução da inflamação. Dieta com fibras atenua a produção de citosinas pró-inflamatórias, incluindo IL-4, IL-6, IL-8, IL-10, TNF-α e, conseqüentemente, fatores de ativação como NF-kappa B. Outros fítocompostos, como flavonóides, também podem estar envolvidos na prevenção, cura e recuperação da mucosa eólica pois, além de seqüestrar radicais livres e aumentar a atividade de enzimas, podem inibir a produção da NO sintase. Assim, este trabalho propõe avaliar os efeitos protetores de fibras alimentares, de uso comum na dieta, sobre a mucosa intestinal de animais submetidos a modelos de colite e de úlcera duodenal. Posteriormente, esses dados serão usados para o desenvolvimento de um nutracêutico, ou seja, preparação de alimento que apresenta benefícios para a saúde, incluindo prevenção e tratamento de enfermidades. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FERREIRA, Anderson Luiz. Avaliação antiinflamatoria e antioxidante em ratos suplementados com uva (Vitis vinifera L.) na vigencia de colite induzida por acido trinitrobenzenosulfonico. 2009. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.