Busca avançada
Ano de início
Entree

Topografias de controle de estímulos e condições suficientes para formação de equivalência

Processo: 05/58924-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Júlio César Coelho de Rose
Beneficiário:Ana Karina Leme Arantes
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/09928-4 - Relações emergentes entre estímulos e função simbólica: implicações para o comportamento, o conhecimento e o ensino, AP.PRNX.TEM
Assunto(s):Equivalência de estímulos   Controle do estímulo   Matching to sample   Rejeição em psicologia

Resumo

O conceito de equivalência de estímulos oferece uma explicação para o comportamento simbólico, distinguindo dois tipos de relações entre pares de estímulos: relações condicionais (entre pares associados) e relações de equivalência. O procedimento usado para verificar a geração de relações de equivalência é o emparelhamento com o modelo (matching to sample) em que são ensinadas relações condicionais entre pares de estímulos, gerando a aprendizagem através de reforçamento diferencial das respostas corretas. Porém, deste modo, desconhecem-se as topografias de controle de estímulos da linha de base, sendo algumas delas controladas por relações de seleção enquanto outras são controladas por rejeição. Para verificar e controlar as diferentes relações de controle na linha de base pode-se utilizar procedimentos especiais para identificar estas relações. O presente projeto pretende, através do uso do procedimento com máscaras, eliminar essa variabilidade de tal modo que seja possível induzir e verificar separadamente as topografias de seleção e de rejeição, assim como verificar as diferenças nas formações de relações de equivalência. Serão programados 4 estudos utilizando métodos que induzem determinadas topografias de controle de estímulo nas discriminações condicionais de linha de base, avaliando se tanto relações de seleção quanto relações de rejeição são necessárias para a emergência de relações de equivalência, ou se apenas relações de um dos tipos são suficientes para a equivalência. (AU)