Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de viabilidade técnica do sistema construtivo modular em madeira de rejeito comercial de serrarias

Processo: 05/60693-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2006
Vigência (Término): 30 de junho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Elizabeth Mie Arakaki
Beneficiário:Elizabeth Mie Arakaki
Empresa:Grinover Associados Arquitetura e Design Ltda
Vinculado ao auxílio:05/55868-9 - Análise de viabilidade técnica do sistema construtivo modular utilizando rejeito comercial de serrarias, AP.PIPE
Assunto(s):Madeira   Serrarias   Habitação   Construção civil   Tratamento de resíduos

Resumo

Podemos considerar baixo o consumo de madeira no País principalmente se relacionarmos a existência de suporte tecnológico na área, o déficit habitacional de nossas cidades e o enorme potencial florestal brasileiro. Sobre este último, a FUNPAR (1993) relata que o Brasil se debate ainda para encontrar a forma "ideal" para aproveitar todo esse potencial. Neste contexto, o objetivo deste projeto é canalizar as madeiras nativas rejeitadas comercialmente nas serrarias (peças curtas menores que 2m) para a produção de moradias a partir do desenvolvimento de sistema construtivo. Esse sistema baseia-se em blocos de madeira e nesta fase será analisada a viabilidade técnica em relação aos aspectos considerados prioritários. As etapas a serem desenvolvidas são: 1) o ajuste das dimensões finais dos componentes a partir do desenvolvimento de projeto de uma unidade habitacional tendo em vista um sistema modular racionalizado; 2) o acompanhamento em campo das peças de madeira que serão produzidas tendo em vista o controle de qualidade do material, principalmente quanto aos aspectos relacionados ao processo de secagem; 3) os ensaios para a caracterização e seleção das espécies de madeira mais adequada e com maior disponibilidade; 4) o estudo de alternativas de ligação entre as peças para produção dos componentes; 5) a produção dos corpos de prova para os ensaios; 6) os ensaios para avaliação de desempenho em relação à segurança estrutural, segurança a intrusão e estanqueidade, e 7) estimativas a partir de cálculo para avaliação de desempenho térmico e acústico. Os produtos obtidos são: 1) as dimensões finais dos componentes; 2) critérios para a produção das peças na serraria e para o recebimento na unidade produtora do componente; 3) determinação de duas espécies de madeira com densidades na faixa de 450 e 650 kg/m3; 4) determinação das interfaces entre as peças na produção do componente; 5) dados para o cálculo estrutural; 6) verificação do desempenho quanto à segurança a intrusão e estanqueidade, e 7) estimativa do desempenho de conforto térmico e acústico. (AU)