Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da proteína príon celular no desenvolvimento de células gliais

Processo: 05/59582-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de abril de 2006
Vigência (Término): 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Vilma Regina Martins
Beneficiário:Camila Pinto Arantes
Instituição-sede: Laboratório de Biologia Molecular. Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer (ILPC). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/13189-2 - Papel da proteína prion celular em processos fisiológicos e patológicos II, AP.TEM

Resumo

As doenças priônicas são desordens neurodegenerativas transmissíveis e fatais associadas com a conversão da proteína prion celular, PrPc, para sua isoforma infecciosa, PrPsc (Proteína prion scrapie). Estudos têm mostrado que PrPsc acumula-se primeiramente em astrócitos e causa ainda o recrutamento de células microgliais. As funções fisiológicas de PrPc estão sob intensa investigação. Particularmente, nosso grupo tem caracterizado vários ligantes de PrPc e investigando o papel destes complexos no desenvolvimento do sistema nervoso. Dados recentes do grupo apontam para uma importante participação de PrPc e seu ligante, STI1 (Stress inducible protein 1), em diferenciação e sobrevivência neuronal. Além disso, nosso grupo identificou STI1 e PrPc sendo secretados por astrócitos, sugerindo que essas moléculas podem atuar como fatores tróficos. Diante desses dados, o principal objetivo deste trabalho é investigar o papel de PrPc em astrócitos e na microglia durante o desenvolvimento e em modelos de lesões cerebrais. Camundongos tipo-selvagem (Pmp+/+). duas cepas de animais deficientes para o gene de PrPc (Prnp0/0 e Prnp-/-) e uma cepa que superexpressa PrPc (Tg-20) serão utilizados como modelos experimentais. Dessa forma, um estudo mais detalhado sobre a atividade de PrPc e seus ligantes nas células gliais poderá esclarecer o papel destes tipos celulares nos mecanismos associados à perda de função de PrPc nas doenças priônicas. (AU)