Busca avançada
Ano de início
Entree

O gene phf21b como candidato a predisposição familial em cânceres de cabeça e pescoço

Processo: 05/04211-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2006
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Silvia Regina Rogatto
Beneficiário:Fernanda Bernardi Bertonha
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias de cabeça e pescoço   Expressão gênica   Mutação

Resumo

A maioria dos tumores de cabeça e pescoço é epitelial; 90% deles são carcinomas de células escamosas (CCECP). Apesar dos avanços das técnicas cirúrgicas e de novas abordagens terapêuticas, o CCECP ainda é considerado uma doença mórbida e freqüentemente de curso fatal. Os fatores de risco isolados, como consumo de álcool e tabaco, não explicam adequadamente 5-10% dos casos. Esta disparidade sugere a existência de suscetibilidade genética para o desenvolvimento destes tumores. Em um estudo preliminar da equipe, Reis et al. (2002a) identificaram regiões independentes de LOH em tumores de laringe (22q11.2-12.1) e cavidade oral (22q13.1-13.31) e relataram que os tumores orais mostraram uma região preferencial de perda em 22q13.31 para o marcador D22S274. Neste estudo foi demonstrada uma significante associação entre a perda de marcadores específicos e história de câncer de cabeça e pescoço em parentes de primeiro grau. Em uma análise citogenética realizada por nosso grupo (Bérgamo et al., 2005) em 64 pacientes não tratados com carcinomas de células escamosas de cabeça e pescoço primários foram observadas várias alterações numéricas envolvendo com freqüência perdas do cromossomo 22, del(22)(q13.1) e associação com história de câncer familial. Estes achados sugerem que um gene mapeado em 22q13.31 possa estar associado a uma síndrome hereditária de câncer de cabeça e pescoço. O gene PHF21B será investigado como o candidato a supressor tumoral relacionado a esse fenótipo por uma abordagem de mapeamento por ligação em famílias com história positiva desta patologia e por qRT-PCR.