Busca avançada
Ano de início
Entree

A ambiguidade da ordenação feminina: mulher e subjetividades nas comunidades Paulinas durante os primeiros séculos da era cristã

Processo: 05/57681-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2006
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Antiga e Medieval
Pesquisador responsável:Pedro Paulo Abreu Funari
Beneficiário:Roberta Alexandrina da Silva
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Cristianismo primitivo   Estudos de gênero   Mulheres

Resumo

Com a problemática atual envolvendo a ordenação feminina no meio eclesiástico católico, este trabalho consistirá na análise dos primórdios da Igreja, em especial, as comunidades Paulinas da Ásia Menor e da Grécia, durante o período inicial, os dois primeiros séculos, para observar o processo de segregação das mulheres nas funções eclesiais. Partindo desta premissa, os objetivos abordados serão: 1- Refletir acerca das funções eclesiais, como diaconato, apostolado, ministério e profetismo, nas Igrejas da Ásia Menor e da Grécia, e seus significados em cada uma das comunidades nestas regiões. E, portanto, refletir acerca da relação de ambigüidade que se constrói nos textos entre Paulo e as mulheres. 2- Analisar como as gerações de seguidores Paulino, depois de sua morte, conseguiram lidar com a participação feminina nas comunidades e quais os discursos utilizados na legitimação do papel do bispo e do diácono. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SILVA, Roberta Alexandrina da. A ambiguidade da ordenação feminina : mulher e subjetividade na comunidades paulinas durante os primeiro seculo. 2010. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.