Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do mercúrio inorgânico sobre a função cardíaca e sobre biomarcadores de estresse oxidativo em matrinxã, Brycon amazonicus (Spix & Agassiz, 1829) e em traíra, Hoplias malabaricus (Bloch, 1794)

Processo: 06/50772-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2007
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Ana Lúcia Kalinin
Beneficiário:Diana Amaral Monteiro
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Mercúrio (elemento químico)   Bioacumulação   Estresse oxidativo   Toxicidade   Peixes tropicais

Resumo

O mercúrio é um dos metais tóxicos de maior risco ambiental e ocupacional, pode ser depositado nos rios e, por intermédio da cadeia biológica, contaminar os peixes. Dessa forma, é premente que se conheça melhor os efeitos fisiológicos e bioquímicos do mercúrio em diferentes espécies de peixes. Por estarem relacionados às respostas primárias das células aos impactos recebidos do meio, os biomarcadores (bioquímicos e fisiológicos) são vistos como instrumentos eficientes de prevenção e de avaliação de riscos ecológicos. Nesse contexto, o presente projeto propõe-se a estudar o efeito do mercúrio sobre a função cardíaca e sobre biomarcadores do estresse oxidativo em matrinxã, Brycon cephalus e em traíra, Hoplias malabaricus, peixes comumente encontrados na bacia amazônica que vem sofrendo gradativamente o impacto da contaminação do mercúrio. Exemplares de matrinxãs controles e expostos ao cloreto de mercúrio por 96h e exemplares de traíras alimentadas durante 30 dias com matrinxãs expostos ao cloreto de mercúrio serão utilizados na obtenção dos seguintes parâmetros: frequência cardíaca in vivo; respostas inotrópicas e cronotrópicas de tiras ventriculares estimuladas eletricamente, avaliação dos sistemas de defesa antioxidantes no fígado, brânquias, coração e músculo branco e avaliação do processo de bioacumulação do mercúrio. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Proteína do veneno da serpente urutu pode ser benéfica para o coração 

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MONTEIRO, DIANA A.; TAYLOR, EDWIN W.; RANTIN, FRANCISCO T.; KALININ, ANA L. Impact of waterborne and trophic mercury exposures on cardiac function of two ecologically distinct Neotropical freshwater fish Brycon amazonicus and Hoplias malabaricus. COMPARATIVE BIOCHEMISTRY AND PHYSIOLOGY C-TOXICOLOGY & PHARMACOLOGY, v. 201, p. 26-34, OCT 2017. Citações Web of Science: 3.
MONTEIRO, DIANA AMARAL; THOMAZ, JULIANA MONTOVANI; RANTIN, FRANCISCO TADEU; KALININ, ANA LUCIA. Cardiorespiratory responses to graded hypoxia in the neotropical fish matrinxa (Brycon amazonicus) and traira (Hoplias malabaricus) after waterborne or trophic exposure to inorganic mercury. AQUATIC TOXICOLOGY, v. 140, p. 346-355, SEP 15 2013. Citações Web of Science: 9.
MONTEIRO, DIANA AMARAL; RANTIN, FRANCISCO TADEU; KALININ, ANA LUCIA. Dietary intake of inorganic mercury: bioaccumulation and oxidative stress parameters in the neotropical fish Hoplias malabaricus. ECOTOXICOLOGY, v. 22, n. 3, p. 446-456, APR 2013. Citações Web of Science: 25.
MONTEIRO, DIANA AMARAL; RANTIN, FRANCISCO TADEU; KALININ, ANA LUCIA. Inorganic mercury exposure: toxicological effects, oxidative stress biomarkers and bioaccumulation in the tropical freshwater fish matrinx, Brycon amazonicus (Spix and Agassiz, 1829). ECOTOXICOLOGY, v. 19, n. 1, p. 105-123, 2010. Citações Web of Science: 102.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.