Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos sinérgicos da paepalantina, uma isocumarina isolada dos capítulos florais de Paepalanthus bromelioides, sobre a atividade da sulfasalazina no modelo de colite ulcerativa por ácido trinitrobenzenosulfônico em ratos

Processo: 06/54088-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2006
Vigência (Término): 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Luiz Claudio Di Stasi
Beneficiário:Patricia Rodrigues Orsi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Colite ulcerativa   Paepalantina

Resumo

Paepalantina é uma isocumarina isolada dos capítulos de Paepalanthus bromelioides (espécie endêmica brasileira) com atividade antiinflamatória intestinal, agindo por prevenção da depleção dos níveis de glutationa e por inibir as atividades das enzimas mieloperoxídase, fosfatase alcalina e óxido nítrico sintetase colônicas, especialmente controlando a recidiva do processo inflamatório intestinal. Considerando que a sulfasalazina (droga de escolha para o tratamento da Doença Inflamatória Intestinal em humanos) possui sérios efeitos colaterais quando usadas em altas doses ou em longos períodos, o presente projeto têm como objetivo avaliar os efeitos sinérgicos da administração de 5 mg/Kg de paepalantina sobre a atividade antiinflamatória intestinal de diferentes doses de sulfasalazina (5, 15 e 25 mg/Kg) no modelo experimental de colite ulcerativa na fase aguda e na fase crônica com recidiva induzidas pela administração intracolônica de ácido trinitrobenzenosulfônico (modelo TNBS) em ratos. Os efeitos da administração isolada ou combinada de paepalantina e sulfasalazina serão avaliados quanto aos parâmetros clínicos gerais, macroscopia da lesão (escore de lesão, relação peso- comprimento colônico), análise histológica e parâmetros bioquímicos (glutationa, mieloperoxidase, fosfatase alcalina e proteínas), tendo-se em vista a avaliação dos efeitos preventivos e curativos dos compostos-teste e da potencialidade sinérgica da paepalantina sobre a atividade antiinflamatória intestinal da sulfasalazina. (AU)