Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo da ativação de macrófagos de linhagens de camundongos geneticamente selecionados para a reativade inflamatória aguda

Processo: 06/53012-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2006
Vigência (Término): 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunogenética
Pesquisador responsável:Nancy Starobinas
Beneficiário:Andrea Gil Ferreira de Arruda
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/05486-7 - Determinação de fatores genéticos que afetam a resistência ou susceptibilidade à carcinogênese química e à intensidade da resposta inflamatória aguda, empregando modelo de linhagens de camundongos, AP.TEM
Assunto(s):Seleção genética   Camundongos   Controle genético   Macrófagos   Inflamação

Resumo

Uma das células presentes tanto na inflamação como na tumorigênese, são os macrófagos, os quais, por serem fonte e alvo de várias citocinas, quimiocinas e outras moléculas sinalizadoras, participam da regulação do crescimento tumoral. Um modelo experimental adequado para estudar a influência do controle genético na resposta inflamatória, são as linhagens de camundongos geneticamente selecionados para máxima (AIRmax) e mínima (AIRmin) reatividade inflamatória aguda (AIR). Estas linhagens foram obtidas por um processo de seleção genética bidirecional a partir de uma população geneticamente heterogênea e apresentam diferenças significativas na AIR assim como na capacidade em desenvolver tumores transplantados ou quimicamente induzidos. O papel desenvolvido por alguns genes de susceptibilidade a tumores (TSG) tem sido caracterizado por estudos relacionados à funcionabilidade de macrófagos, correlacionando com a expressão dos genes determinantes da TSG, resultando no mapeamento de três genes situados nos cromossomos 4, 8 e 19, a saber, Marif1, Marif2 e Marif3. O presente projeto tem como objetivo avaliar os fenótipos das células macrofágicas presentes no exsudato inflamatório dos camundongos AIRmax e AIRmin, por meio de parâmetros fagocíticos, produção de citocinas pró-inflamatórias e, síntese de NO e H2O2. Estes fenótipos serão, então, correlacionados com os níveis de expressão dos genes reguladores da atividade macrofágica, os Marifs. (AU)