Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose

Processo: 06/53325-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de setembro de 2006
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Jorge Elias Kalil Filho
Beneficiário:Maria Carolina Aquino Luque
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/02721-8 - Phage display e o sistema imunológico: identificação de alvos terapêutico e diagnósticos em desordens envolvendo sistema imune, AP.TEM

Resumo

A aterosclerose é uma doença degenerativa crônica dos vasos, com conseqüências clínicas agudas que incluem o infarto de miocárdio e o acidente vascular cerebral. É atualmente reconhecida como de característica inflamatória, iniciada e propagada no contexto da hipercolesterolemia. Um trabalho de nosso grupo utilizou técnicas de phage display para comparar placas ateroscleróticas e carótidas normais objetivando a busca de proteínas alteradas nos vasos acometidos. Diversas semaforinas e plexinas (receptores de semaforinas) foram identificadas; dentre elas a plexina B1, que possui alta afinidade por CD100, sugerindo assim uma alta concentração de CD100 na placa aterosclerótica. CD100 é uma semaforina recentemente descoberta no sistema imune e a única até hoje descrita como possuidora de duas formas de funcionalidades distintas, sendo uma de membrana (mCD100) e outra solúvel (sCD100). É uma molécula expressa em plaquetas e linfócitos T e B, especialmente quando ativados. No entanto, em placas ateroscleróticas analisadas, há uma forte sugestão de que CD100 está sendo expressa por macrófagos modificados. Atualmente não existem estudos que relatem a presença ou possível atividade biológica de CD100 tanto na aterosclerose quanto em macrófagos. Devido às já estabelecidas ações no sistema imune, e à análise dos fenótipos de camundongos deficientes ou não em CD100, acreditamos que a expressão diferencial dessa semaforina provavelmente possui um papel amplificador significativo na patogênese da aterosclerose. Posteriormente, essa proteína poderá servir como alvo de inibição da progressão da doença e de suas complicações. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LUQUE, Maria Carolina Aquino. Papel de CD100 na patogênese da aterosclerose. 2011. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.