Busca avançada
Ano de início
Entree

Especiação do manganês em sistemas aquáticos como determinantes da sua toxicidade: estudo do caso da bacia do Alto Paranapanema

Processo: 06/00001-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2006
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Breno Pannia Espósito
Beneficiário:Raúl Bonne Hernández
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Feijão   Especiação   Manganês

Resumo

O manganês é um nutriente essencial para os seres vivos, significativamente concentrado pela biota aquática, uma vez que pode formar complexos em organismos através de ligantes de baixo peso molecular (aminoácidos, peptídeos) ou poliméricos (albumina sérica, ferritina, ácidos nucléicos). Danos neurológicos promovidos por manganês são bem conhecidos. Uma das hipóteses, ainda con-troversa, para explicar essa toxicidade está relacionada com a oxidação de componentes celulares por espécies de Mn3+. Alternativamente, a ativação desregulada de proteínas por espécies de Mn tem merecido atenção. Trabalhos com plantas terrestres e/ou aquáticas e peixes demonstram que o manganês é fitotóxico, mutagênico e imunotóxico. Além disso, fitossanitários derivados do manga-nês, como o maneb e o mancozeb, são considerados carcinogênicos e neurotóxicos. Estudos recen-tes apontam para imunotoxicidade associada ao mancozeb. Nesse sentido, um dos grandes desafios no âmbito da especiação de metais é a correlação exata das espécies presentes em sistemas biológi-cos com seus mecanismos de toxicidade. O mancozeb, isoladamente ou associado a outras substân-cias, é um fungicida preventivo utilizado no cultivo de feijão na bacia do Alto Paranapanema, regi-ão do Estado de São Paulo com produção significativa desse grão. Dado que o feijão constitui a base do cardápio dos brasileiros, é relevante estudar o destino biogeoquímico das substâncias utili-zadas no seu cultivo, armazenamento, transporte ou processamento. Segundo dados oficiais, a con-centração aquática do manganês na Bacia do Alto Paranapanema ao longo dos últimos dez anos vem sendo consistentemente não-conforme à legislação ambiental. Como forma de contribuir ao estudo da toxicologia do Mn e seus compostos, neste projeto pretendemos determinar possíveis me-canismos de toxicidade do manganês em sistemas aquáticos em função da sua especiação, informa-ção essa que servirá de base a possíveis programas de preservação do ambiente aquático. Para isso, propõem-se tarefas de especiação do manganês, determinação celular das espécies formadas por esse metal, sinalização celular de alterações protéicas, estudos de toxicidade crônica e, com o mon-tante das informações obtidas (incluindo-se dados sócio-econômicos, políticos e culturais da região de estudo), a execução de um plano de manejo de resíduos de manganês. O tempo estimado para o desenvolvimento da pesquisa é de 36 meses.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
HERNÁNDEZ‚ RB; FARINA‚ M.; ESPÓSITO‚ BP; SOUZA-PINTO‚ NC; BARBOSA JR‚ F.; SUÑOL‚ C. Mechanisms of Manganese-Induced Neurotoxicity in Primary Neuronal Cultures: The Role of Manganese Speciation and Cell Type. TOXICOLOGICAL SCIENCES, v. 124, n. 2, p. 414-423, 2011. Citações Web of Science: 40.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.