Busca avançada
Ano de início
Entree

Gestão estratégica e políticas públicas: uma pedagogia para a cidadania e o desenvolvimento sustentável

Processo: 96/10469-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 1997
Vigência (Término): 31 de março de 2001
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Administração - Administração Pública
Pesquisador responsável:Maria Teresa Miceli Kerbauy
Beneficiário:Oklinger Mantovaneli Junior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Administração estratégica   Desenvolvimento sustentável   Planejamento municipal   Planejamento ambiental   Políticas públicas   Porto Alegre (RS)

Resumo

Com o presente projeto pretende-se construir um estudo exploratório sobre os processos de envolvimento social em comunidades organizadas da cidade de Porto Alegre - RS, suas pedagogias e a forma com que estes processos se afinam ou inter-relacionam com os mecanismos formalmente estabelecidos, pelo poder público, para dialogar com os sistemas sociais locais (Ramos, 1989). Entende-se que, por traz da iniciativa comunitária e sua tradição de conquistas, se assentariam fatores históricos determinantes (Gohn, 1993) para a gestão democrática da cidade (Moura, 1995). Procura-se explorar a dimensão educativa não formal (Gohn, 1993), presente nos processos de planejamento e gestão para o desenvolvimento, buscando uma leitura capaz de considerar o desenvolvimento enquanto processo de construção histórica. Neste sentido, será abordado o conceito de desenvolvimento sustentável (Sachs, 1994), sinalizando para a relevância e o significado que tal conceito adquire ao se falar sobre a gestão de políticas públicas, entendendo-se, deste modo, que um processo de formulação, implementação e avaliação de políticas deve ser capaz de incorporar e construir premissas que garantam uma relação homem-homem-natureza onde não existam reducionismos, o que certamente incute um desafio. Entende-se, portanto que, qualquer processo de desenvolvimento precisa de sustentabilidade desde os seus encaminhamentos decisórios, refutando, a não efetividade e/ou sustentabilidade das análises e escolhas (Mantovaneli, 1994). Pretende-se, com este estudo, dar visibilidade ao lado educativo, presente nos processos planejados de formulação, implementação e avaliação de políticas, vislumbrando possibilidades para uma gestão estratégica e democrática das mesmas. Acredita-se que, a sociedade organizada em comunidades e movimentos sociais sinaliza, com novas perspectivas, para uma gestão de políticas como a supra-proposta. Entende-se, também que, existem administrações governamentais, dentre elas a de Porto Alegre, que demonstram claramente sinais de compreensão, ainda que esparsos, sobre estas novas necessidades que ora vêm se impondo. A expectativa é que a análise proposta contribua cientificamente para trabalhos que, nascidos da realidade histórica das organizações é comunidades, possam criar condições para a implantação de processos de desenvolvimento delineados por meio de processos de gestão que possam ser compreendidos como sustentáveis. (AU)