Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem molecular de enzimas amilolíticas em leveduras industriais e amazônicas visando a produção de etanol e biomassa

Processo: 98/05291-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 1998
Vigência (Término): 31 de agosto de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Elisabete José Vicente
Beneficiário:Jefferson Alves da Costa Junior
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Amilases   Biomassa   Biotecnologia   Engenharia genética   Fermentação alcoólica

Resumo

Atualmente as leveduras vêm sendo utilizadas como modelo de microrganismo propício para manipulações genéticas, por permitir a expressão de genes na secreção de proteínas heterólogas de caráter biotecnológico e de interesse econômico. Por outro lado, as indústrias de transformação devem se preocupar com o uso dos recursos biológicos naturais de maneira sustentável a fim de viabilizarem o desenvolvimento tecnológico, econômico e social de determinadas regiões brasileiras. Devem levar em consideração, portanto, as características do ecossistema local (flora, fauna, solo, relevo, clima, etc.) para otimizar, de maneira equilibrada, o emprego da agroindústria. Neste sentido, este projeto se propõe ao estudo e a manipulação genética de leveduras originárias da Amazônia e de cepas industriais com o objetivo de capacitá-las aos processos industriais para produção de etanol e biomassa a partir de substratos amiláceos como é o caso do amido de mandioca, cultura esta que já está bem desenvolvida na região amazônica. As leveduras selecionadas para o propósito acima citado, receberão genes exógenos de enzimas arniloliticas α-amilase de Bacillus subtilis e glucoamilase de Aspergillus awamori através de transformação gênica, capacitando-as à degradação biológica do amido. Finalizado os testes e análises laboratoriais, realizaremos os testes em grande escala com o apoio da Usina de Açúcar e Álcool Jardest S. A. (AU)