Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de filtros de carvao granular com atividade biologica para a remocao de microcistinas e materia organica dissolvidas na agua durante seu tratamento.

Processo: 06/56778-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de setembro de 2006
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária
Pesquisador responsável:Alessandro Minillo
Beneficiário:Alessandro Minillo
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/53502-0 - Uso de filtros de carvão granular com atividade biológica para a remoção de microcistinas e matéria orgânica dissolvidas na água durante seu tratamento, AP.JP
Assunto(s):Microcistinas   Cianobactérias

Resumo

A ocorrência de florações de cianobactérias tóxicas em mananciais destinados ao suprimento de água potável pode representar um risco contínuo no fornecimento de água potável. A utilização de o carvão ativado granular (CAG) como agente de remoção de cianotoxinas (microcistinas) e outros compostos dissolvidas na água representa uma medida eficaz durante o seu tratamento em uma ETA. Entretanto, o CAG pode apresentar um tempo de uso limitado em uma ETA devido sua finita capacidade de adsorção, o que requer a sua regeneração periódica nos filtros. Uma série de estudos tem demonstrado a possibilidade de remoção de cianotoxinas em filtros de carvão ativado granular, quando esses estão colonizados por microorganismos, formando um biofilme. Considerando o cenário atual, o presente projeto tem por objetivos: I) avaliar em escala de laboratório e instalação piloto a capacidade dos filtros de carvão granular com atividade biológica (CAB) para a remoção de microcistina e matéria orgânica; II) investigar a contribuição dos processos de biodegradação e bioadsorção para a remoção da microcistina em filtros CAB; III) estudar o potencial para a libertação de microcistinas por desadsorção dos filtros CAG e CAB; IV) caracterizar quais microorganismos (bactérias) que estão associados na remoção das cianotoxinas em filtros CAB; e V) avaliar a eficiência desses filtros CAB na remoção de microcistina e matéria orgânica em uma ETA em instalação piloto. Este estudo abre a possibilidade de avaliar a viabilidade e eficiência dos filtros CAB em ETAs, para serem evitados riscos à saúde humana associados a água tratada. (AU)