Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise dos niveis de expressao dos membros da familia hox de genes homeobox em carcinomas espinocelulares bucais.

Processo: 06/01633-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2006
Vigência (Término): 30 de abril de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Ricardo Della Coletta
Beneficiário:Maria Fernanda Setúbal Destro Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia bucal   Neoplasias bucais

Resumo

Os genes homeobox correspondem a uma família de genes com participação na organogênese através do controle da proliferação e diferenciação celular. Dentre estes genes, destacam-se os membros da família HOX de genes homeobox, os quais têm sido relacionados com o surgimento de diferentes tipos de neoplasias, incluindo cânceres de próstata, ovário, rins, pulmão, pele e leucemias. Os membros da família HOX estão envolvidos em processos celulares cruciais para a oncogênese como controle do ciclo celular, proliferação, diferenciação e morte celular. Não existem na literatura estudos relacionados com a expressão destes genes em carcinomas espinocelulares bucais. Assim, o objetivo deste estudo é determinar os níveis de expressão e a participação dos membros da família HOX de genes homeobox em carcinomas espinocelulares bucais. Pares de amostras de tecido normal e de carcinoma espinocelular provenientes do mesmo paciente serão submetidos à técnica semiquantitativa de RT-PCR “multiplex” para a determinação dos níveis de expressão de cada um dos 39 membros que compõem a família HOX de genes homeobox. É importante ressaltar que por se tratar de genes freqüentemente associados à embriogênese, eles podem representar um excelente alvo para a terapêutica de processos neoplásicos bucais, pois podem não ser expressos ou apresentarem uma expressão muito limitada nos tecidos normais adultos. Contudo, a falta do completo conhecimento dos níveis de expressão em tecidos normais e neoplásicos, e o desconhecimento do papel destes genes nos cânceres bucais limitam qualquer estratégia terapêutica.