Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise das celulas bipolares pck-ir da retina de peixe tropical hoplias malabaricus intoxicado com baixas doses agudas e subcronicas de metilmercurio

Processo: 07/56623-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2008
Vigência (Término): 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Dora Selma Fix Ventura
Beneficiário:André Maurício Passos Liber
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/12733-8 - Perdas sensoriais causadas pela intoxicação mercurial: estudos psicofísicos e neurofisiológicos em pacientes e em modelos animais, AP.TEM
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Sistema visual   Intoxicação por mercúrio   Retina

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo analisar o efeito do metilmercúrio na retina de peixe tropical Hoplias malabaricus (traíra). Serão realizadas intoxicações agudas, por meio de injeção intraperitoneal, nas doses de 0,01, 0,05, 0,1 e 1,0 μg/g e intoxicações subcrônicas por via trófica nas doses de 0,0075 e 0,075 μg/g . Após o término dos procedimentos de intoxicação, serão realizadas técnicas imunohistoquímicas, para analise quantitativa de células bipolares. Até o presente momento foram analisadas retinas intoxicadas por metilmercúrio nas doses agudas de 0,01 (n = 2) e 0,05 (n = 2) μg/g e um grupo controle (n = 3). Após exposição mercurial as retinas foram dissecadas e fixadas em para formaldeído 4% diluído em tampão fosfato 0,1 M, pH 7,2 por 3 horas e processadas para imunohistoquímica com anticorpo anti-PKC (coelho, 1.100) e analisadas por quadrantes (temporal, nasal, dorsal e ventral), no centro e na periferia. Os resultados obtidos para os grupos intoxicados com baixas doses de metilmercúrio, foram semelhantes aos obtidos por Bonci et al, 2006, para retinas intoxicadas com doses altas agudas (2 e 6 μg/g). Através de evidências morfológicas foi demonstrado até o presente momento, que a intoxicação por baixas doses agudas de metilmercúrio (0,01 e 0,05 μg/g), promove a diminuição da população total de células bipolares-ON imunorreativas ao anticorpo anti-PKC, sem diferença em relação a perdas sob altas doses de metilmercúrio. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LIBER, André Maurício Passos. Análise de células bipolares PKCa-IR e células ganglionares da retina do peixe tropical Hoplias malabaricus intoxicado com baixas doses agudas de metilmercúrio. 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Psicologia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.