Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo fitoquímico biomonitorado das folhas de Ipomoea batatas e folhas e caule de rauia SP, sobre formigas cortadeiras(atta sexdens robropilosa) e seu fungo simbionte (Leucoagaricus gongylophorus)

Processo: 06/58337-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2007
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:João Batista Fernandes
Beneficiário:Tatiani Mesquita Bondancia
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Produtos naturais   Rutaceae   Formigas cortadeiras

Resumo

As formigas constituem um dos grupos de insetos mais abundantes na biosfera. Entre elas estão às formigas cortadeiras (gêneros Atta e Acromyrmex) consideradas como o inseto que mais causa danos a agriculturas no Brasil. Estes insetos são organizados socialmente e vivem em simbiose com um fungo amorfo, Leucoagaricus gongylophorus, que vem se desenvolvendo em conjunto com as formigas cortadeiras, o qual utiliza o material vegetal como substrato para o seu crescimento, pois o fungo é o único alimento para larvas e pupas. Acredita-se que o fungo desempenhe a função de um estômago externo, digerindo a celulose, transformando aleloquímicos vegetais em substâncias palatáveis à formiga por meio de enzima. Este é um ponto a ser explorado considerando-se uma possível aplicação em métodos alternativos para o controle deste inseto, principalmente no uso de produtos naturais como óleos essenciais e feromônios sendo sua alta seletividade para o inseto-alvo uma das grandes vantagens. Este projeto visa o isolamento de substâncias ativas das folhas de Ipomoea batatas e folhas e caule de Rauia sp, acompanhadas por ensaios nas formigas cortadeiras (Atta sexdens rubropilosa), no seu fungo simbionte (Leucoagaricus gongilophurus) e nas enzimas provenientes do fluido fecal (pectinases). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.