Busca avançada
Ano de início
Entree

Analgesia pós operatória em gatas submetidas a o ovariosalpingohisterectomia tratadas com buprenorfina por diferentes vias de administração

Processo: 06/59297-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2007
Vigência (Término): 22 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Stelio Pacca Loureiro Luna
Beneficiário:Tatiana Giordano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Dor   Analgesia   Buprenorfina

Resumo

Os fármacos opióides são o principal suporte para o tratamento da dor devido sua eficácia e boa margem de segurança. Em felinos o reconhecimento da dor é mais difícil, além de existirem diversos conceitos errôneos quanto ao uso de analgésicos opióides, o que torna o tratamento da dor nesta espécie inadequado na maioria das vezes. A buprenorfina é um opióide agonista parcial de receptores μ, apresenta um período de latência entre 30 e 45 minutos, e o seu período de ação varia de 6 a 12 horas. A via de administração, principalmente no caso da buprenorfina, pode influenciar sobejarmente na latência e duração do efeito analgésico provocado. O objetivo deste estudo é avaliar a sedação, analgesia e duração de ação da buprenorfina quando administrada por diferentes vias de administração em gatas submetidas à ovariosalpingohisterectomia eletiva. Serão utilizados 100 animais da espécie felina, fêmeas, de raças escolhidas ao acaso, com mínimo de quatro meses de idade. Os animais serão divididos de forma aleatória em 4 grupos. Cada grupo receberá a dose de 0,02 mg/kg de buprenorfina pela via intravenosa, intramuscular, via oral ou subcutânea. Os animais serão avaliados para dor pós-operatória e sedação nos momentos pré-determinados: 1, 2, 3, 4, 6, 8, 12, e 24 horas após o término do procedimento cirúrgico. Para tal será utilizada uma escala usada por Slingsby e Waterman-Pearson (1998) e escala visual analógica dinâmica (DIVAS). Se o escore de dor for igual ou superior a três, na escala de Slingsby & Waterman-Pearson (1998), a buprenorfina será administrada na dose de 0,04 mg/kg pela via intramuscular. Os dados serão analisados pela ANOVA seguidos por Tukey (p<0,05). (AU)