Busca avançada
Ano de início
Entree

Utilização dè marcadores microssatélites N‚O estudo populacional dè Leishmania chagasi N‚O Brasil

Processo: 06/61151-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2007
Vigência (Término): 31 de março de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Beneficiário:Diego Peres Alonso
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Repetições de microssatélites   Leishmania infantum

Resumo

A leishmaniose é uma doença parasitária causada por protozoários do gênero Leishmania, e transmitida através da picada de fêmeas de mosquitos da família Plebotomidae. As formas clínicas da leishmaniose são particularmente variadas, representando um complexo de doenças tendo como forma mais grave a leishmaniose visceral (LV) ou calazar. No Brasil a LV é causada pelo protozoário L.chagasie transmitida pelo flebotomíneo Lutzomyia longipalpis, os principais reservatórios que participam do ciclo zoonótico são canídeos selvagens e cães domésticos. O fato de as leishmanioses, de uma maneira geral, apresentarem um amplo espectro no que diz respeito à sintomatologia da doença, aliado a grande diversidade das espécies de hospedeiros infectados, sugere a presença de variantes genéticas do parasita. No caso da leishmaniose visceral, por exemplo, variantes genotípicas de L.chagasi interagindo com diferentes espécies de hospedeiros podem ter papel fundamental na dinâmica e virulência de possíveis epidemias. O presente projeto tem como meta identificar possíveis variantes genotípicas de L.chagasi presentes em áreas endêmicas do Estado de são Paulo, bem como comparar linhagens do parasita isoladas de reservatórios silvestres e urbanos com linhagens obtidas de pacientes com diagnóstico positivo para leishmaniose visceral. Além disso, pretende-se comparar os genótipos encontrados no Estado de São Paulo com genótipos encontrados em outras regiões do Brasil, particularmente em Teresina no Estado do Piauí, visto que a história natural da doença nessa região é muito mais antiga do que no Estado de São Paulo. O estudo utilizará marcadores microssatélites já descritos na literatura, a fim de se obter um perfil genético relacionado à dinâmica de transmissão e a epidemiologia da leishmaniose visceral nessas áreas, e também avaliar a participação efetiva de cada hospedeiro vertebrado, incluindo o homem, na manutenção das epidemias. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARTINS RIBOLLA, PAULO EDUARDO; GUSHI, LETICIA TSIEME; PIRES E CRUZ, MARIA DO SOCORRO; NERY COSTA, CARLOS HENRIQUE; COSTA, DORCAS LAMOUNIER; DA COSTA LIMA JUNIOR, MANOEL SEBASTIAO; MORAES CAVALHEIROS DORVAL, MARIA ELIZABETH; DE OLIVEIRA, ALESSANDRA GUTIERREZ; DA CUNHA SANTOS, MIRELLA FERREIRA; FONSECA CAMARGO-NEVES, VERA LUCIA; CASTELLO BRANCO FORTALEZA, CARLOS MAGNO; ALONSO, DIEGO PERES. Leishmania infantum Genetic Diversity and Lutzomyia longipalpis Mitochondrial Haplotypes in Brazil. BIOMED RESEARCH INTERNATIONAL, 2016. Citações Web of Science: 3.
ALONSO, DIEGO PERES; COSTA, DORCAS LAMOUNIER; DE MENDONCA, IVETE LOPES; NERY COSTA, CARLOS HENRIQUE; MARTINS RIBOLLA, PAULO EDUARDO. Short Report: Heterogeneity of Leishmania infantum chagasi Kinetoplast DNA in Teresina (Brazil). American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, v. 82, n. 5, p. 819-821, MAY 2010. Citações Web of Science: 1.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ALONSO, Diego Peres. Utilização de marcadores moleculares no estudo populacional de Leishmania infantum chagasi no Brasil. 2011. 73 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu). Botucatu.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.