Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de borda no padrão de frutificação e síndromes de dispersão em uma área de cerrado sensu stricto-itirapina, SP

Processo: 05/57740-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2006
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Leonor Patricia Cerdeira Morellato
Beneficiário:Maria Gabriela Gutierrez de Camargo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Assunto(s):Fenologia   Frutificação   Cerrado

Resumo

Considerado um dos hotspots de biodiversidade, o cerrado brasileiro é a savana mais rica do mundo. A vegetação de cerrado possui uma fisionomia bastante diversificada, desde formas campestres abertas, até formas mais densas como os cerradões. O cerrado brasileiro e, principalmente na região do Estado de São Paulo, vem sofrendo um processo intenso de fragmentação, o que traz conseqüências deletérias para a biota nativa e torna os organismos restantes sujeitos aos efeitos de borda. Efeitos como aumento da temperatura e incidência de luz, maior influência de ventos e a diminuição da umidade relativa, podem afetar o comportamento fenológico da comunidade e as interações entre plantas e animais como a frugivoria e dispersão de sementes, podendo alterar a proporção de espécies por síndrome de dispersão na comunidade. Este trabalho pretende analisar a influência da borda no padrão de frutificação e dispersão de sementes e verificar (i) qual a proporção de espécies em cada síndrome de dispersão encontrada, e como esta proporção varia entre borda e interior, (ii) como varia o padrão de frutificação das espécies por síndrome de dispersão e entre borda e interior, e (iii) como varia a produção de frutos na comunidade de acordo com as síndromes de dispersão e entre borda e interior da área de estudo. Para tanto será realizado o acompanhamento fenológico quinzenal dos indivíduos da área de cerrado durante um ano, contagem de frutos e sementes e tomada de medidas como tamanho e peso dos frutos e o levantamento das síndromes de dispersão das espécies. Para a análise do padrão fenológicos será utilizado o índice de atividade fenológica e o teste Qui-quadrado para verificar a sazonalidade na frutificação. A hipótese da variação na produção de frutos entre borda e interior será testada através do teste Mann-Whitney e para a hipótese de variação na proporção das síndromes entre borda e interior será utilizado o teste Kruskal-Wallis. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.