Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do efeito das lesões causadas no DNA por irradiação ultravioleta em MEFS e camundongos nocaute para genes de reparo de DNA

Processo: 07/50789-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de agosto de 2007
Vigência (Término): 31 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Carolina de Barros Reis Quayle
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/13255-5 - Genes de reparo de DNA: análise funcional e evolução, AP.TEM
Assunto(s):Raios ultravioleta   Reparo do DNA

Resumo

Lesões no material genético, se não corrigidas, podem resultar em mutações, morte celular e câncer. A radiação UV destaca-se como o fator físico exógeno mais carcinogênico em nosso ambiente, sendo que a maioria das lesões causadas em DNA são os dímeros de pirimidina ciclobutano (CPSs) e os fotoprodutos 6-4 pirimidina-pirimidona (6-4PPs). Fotoliases são enzimas capazes de reverter estas lesões de maneira direta e específica, utilizando luz visível como fonte de energia. Porém, mamíferos placentários não apresentam estas enzimas e utilizam somente a via de reparo por excisão de nucleotídeos (NER) para corrigir estas lesões. Camundongos nocaute para os genes XP da via NER são bons modelos de estudo para os efeitos da luz UV, pois desenvolvem fenótipo semelhante a indivíduos portadores da síndrome genética xeroderma pigmentosum (XP), cujo principal sintoma é hipersensibilidade à luz UV, com aumento na incidência de carcinoma. Tendo em vista a importância destas lesões, o objetivo deste trabalho é determinar seu papel específico no desenvolvimento de carcinoma e morte celular, através da transdução de vetores adenovirais portadores de fotoliases, em camundongos e seus fibroblastos embrionários (MEFs) nocaute para os genes XPA e XPC, tratados com radiação UVB. Além disso, pretende-se desenvolver um teste diagnóstico simples, preciso e pouco invasivo para a síndrome XP, a partir da análise da recuperação fenotípica de macrófagos transluzidos com diferentes genes XP e submetidos à luz UV. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.