Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle de estímulos e formação de relações simbólicas em pré-escolares e indivíduos com Síndrome de Down

Processo: 07/50992-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2007
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Júlio César Coelho de Rose
Beneficiário:Priscila Crespilho Grisante
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/09928-4 - Relações emergentes entre estímulos e função simbólica: implicações para o comportamento, o conhecimento e o ensino, AP.PRNX.TEM
Assunto(s):Pré-escolar   Síndrome de Down   Equivalência de estímulos   Matching to sample   Rejeição em psicologia

Resumo

A presente proposta apóia-se em um modelo comportamental que aborda a relação entre símbolo e referente como uma relação de equivalência, com potencial gerativo do qual emergem novas relações. Pretende investigar o papel do estabelecimento de controle por seleção e por rejeição na linha de base sobre a formação de relações simbólicas envolvendo estímulos visuais abstratos, visando elucidar a questão sobre as condições necessárias e suficientes para a emergência de relações de equivalência. Serão utilizados métodos que induzem topografias de controle de estímulo por seleção e por rejeição durante o treino. Quatro crianças pré-escolares e quatro indivíduos com Síndrome de Down participarão do estudo, composto pelas seguintes etapas: 1) pré-treino 2) treino das relações AB, BC sem máscara, verificação de relações emergentes por meio de sonda. 3) treino das relações AB e BC com outro conjunto de estímulos e uso de máscara e verificação das relações emergentes, 4) treino da relação CD e verificação de uma possível expansão de classe de estímulo e 5) verificação se a relação de controle estabelecida em cada discriminação condicional envolvida no treino coincide com as planejadas pelo pesquisador. Se os resultados forem positivos, a conclusão de que relações de seleção e de rejeição são suficientes para a formação de equivalência será fortalecida, bem como a utilidade desse tipo de procedimento no desenvolvimento e difusão de procedimentos de ensino de comportamento simbólico e conceitual. (AU)