Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso Sustentável da Biodiversidade Brasileira avaliação quimica-farmacologica de plantas superiores: Guapira spp.

Processo: 06/57512-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2007
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Beneficiário:Juliana Aparecida Severi
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/05503-6 - Uso sustentável da biodiversidade brasileira: prospecção químico-farmacológica em plantas superiores, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Farmacologia   Fitoquímica   Nyctaginaceae   Plantas medicinais

Resumo

Os grupos de pesquisa do IQ-Araraquara-Unesp, do IB-Unicamp, IB-Botucatu-Unesp e FCF-UNESP já produziram trabalhos significativos na investigação de plantas com atividades antiúlceras gástricas, antioxidante, antimicrobiana, analgésica e antiinflamatória. Isso provém de uma estratégia que parte de informações etnofarmacológicas, segue com a realização de ensaios farmacológicos com extratos, realiza triagem fitoquímica, prossegue com o isolamento e identificação dos componentes e utiliza frações enriquecidas ou substâncias puras para a determinação dos prováveis mecanismos de ação farmacológica envolvidos com a atividade detectada. Este projeto propõe dar continuidade ao estudo químico-farmacológico integrado de plantas, desta vez investigando espécies do Bioma do Estado de São Paulo, que compõem o gênero Guapira (Nyctagenaceae) mais especificamente G. noxia e G. opposita, com informações etnofarmacológicas para problemas estomacais e inflamatórios. Na etapa fitoquímica, serão utilizadas técnicas cromatográficas usuais, principalmente aquelas para substâncias polares (GPC, XAD2, DCCC, HSCC, HPLC, etc) e determinação estrutural por métodos espectroscópicos (MS, UV, IR e NMR). Na avaliação das atividades biológicas serão investigados os possíveis efeitos tóxicos das espécies. Na ausência de efeito tóxico, serão avaliadas as atividades antiúlceras e antioxidante, intrinsecamente relacionadas. Além das atividades mutagênica, antiinflamatória, antimicrobiana, antidiarréica, analgésica e moduladora do sistema imunológico, tentando estabelecer possíveis correlações entre as propriedades apresentadas e a composição química da espécie. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SEVERI, Juliana Aparecida. Uso sustentável da biodiversidade brasileira : prospecção químico-farmacológica em plantas superiores : Guapira ssp.. 2010. 144 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciencias Farmaceuticas. Araraquara.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.