Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das celulas t reguladoras cd4+cd25highfoxp3+ na resposta imune induzida por diferentes formulacoes vacinais.

Processo: 07/02695-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Vânia Luiza Deperon Bonato
Beneficiário:Paola Fernanda Fedatto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Vacinas   Lipossomos   Vacinas de DNA   Linfócitos T reguladores

Resumo

O aumento do conhecimento no campo da Imunologia vem contribuindo para o desenvolvimento racional de novas vacinas, visando à estimulação de resposta imune específica, protetora e de longa duração. Dentro deste contexto, o Núcleo de Pesquisas em Tuberculose da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo (NPT-FMRP-USP) tem obtido sucesso no desenvolvimento de estratégias e formulações vacinais com efeitos profilático e terapêutico contra a tuberculose experimental. A principal vacina estudada é a DNA-HSP65, que se baseia no DNA que codifica a proteína de choque térmico (Hsp) de 65 kDa de Mycobacterium leprae. Vários estudos do grupo mostraram o efeito profilático e terapêutico contra a infecção endovenosa com M. tuberculosis em camundongos. Diante dos resultados promissores decorrentes da imunização com a vacina DNA-HSP65, o grupo iniciou uma série de estudos com o intuito de otimizar a eficácia da mesma. Várias estratégias foram desenvolvidas, como a adição de adjuvantes lipossomais e CpG-Oligodeoxinucleotídeos em diferentes preparações vacinais e a utilização de protocolos de imunização heteróloga ou "prime-boost" com BCG, DNA-HSP65 e CFP (do inglês, Culture Filtrate Proteins) de M. tuberculosis. Estes estudos revelaram proteção ainda maior do que aquela encontrada previamente. Além dessa linha de pesquisa, nosso grupo também desenvolve uma linha de pesquisa mais básica, com enfoque nos processos imunológicos que explicam a relação de M. tuberculosis com o hospedeiro e a regulação da resposta imune nesta doença experimental. Sabe-se que alguns componentes do sistema imunológico têm a função de suprimir as respostas imunes efetoras contra determinado estímulo, que pode ser um agente infeccioso ou uma vacina. Dentre eles, as células T reguladoras (Tregs) possuem ampla capacidade em suprimir respostas imunes e podem interferir na magnitude e duração da resposta imune induzida por vacinas. Estudos com Tregs mostraram que a depleção destas células antes ou no momento da administração da vacina resulta numa resposta de células T aumentada, que se mostra mais duradoura e mais protetora. Sendo assim, a manipulação das Tregs pode ser útil para melhorar a eficácia de vacinas. Diante do exposto, esse projeto pretende investigar se as células Tregs estão envolvidas na resposta imune gerada após a administração de diferentes formulações vacinais contra a tuberculose experimental, já avaliada quanto à eficácia protetora por nosso grupo, e se a freqüência dessa subpopulação após a imunização pode ser um dos componentes imunológicos que explicam os diferentes graus de proteção observados.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FEDATTO, PAOLA FERNANDA; SERGIO, CASSIA ALVES; OLIVEIRA E PAULA, MARINA; GEMBRE, ANA FLAVIA; FRANCO, LUIS HENRIQUE; WOWK, PRYSCILLA FANINI; RAMOS, SIMONE GUSMAO; HORN, CYNTHIA; MARCHAL, GILLES; TURATO, WALTER MIGUEL; SILVA, CELIO LOPES; DA FONSECA, DENISE MORAIS; DEPERON BONATO, VANIA LUIZA. Protection conferred by heterologous vaccination against tuberculosis is dependent on the ratio of CD4(+)/CD4(+) Foxp3(+) cells. IMMUNOLOGY, v. 137, n. 3, p. 239-248, NOV 2012. Citações Web of Science: 14.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.