Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação das células b na indução de células t CD8 de memória após a vacinação com DNA hsp65

Processo: 06/05947-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Arlete Aparecida Martins Coelho-Castelo
Beneficiário:Isabela Cardoso Fontoura
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Memória   Vacinas de DNA

Resumo

A utilização de vacina de DNA vem mostrando muita eficácia contra uma série de agentes patogênicos, no entanto alguns mecanismos envolvidos na indução da resposta imune ainda não estão completamente esclarecidos. Nosso laboratório vem trabalhando com a biodistribuição, tráfego intracelular e ativação da resposta imune com objetivo de favorecer de vacinas gênicas mais eficientes. Assim, a utilização da vacina de DNA plasmideal, que codifica a proteína de choque térmico de 65 kDa do Mycobacterium leprae (pcDNA-hsp65) contra a tuberculose, desenvolvida no Centro de Pesquisa em tuberculose tem sido utilizado, em nossos ensaios como modelo. Os resultados obtidos dessas análises podem nos fornecer as informações importantes para geração de novos tipos de vacinas de DNA. Como já demonstrado pelo nosso grupo, as células B também são capazes de capturar DNA plasmideal in vivo, e desse modo ter uma participação efetiva na geração de memória tanto de células T CD4 quanto CD8. Essa hipótese já está sendo avaliada sobre processo Fapesp 04/00396-2. Pelos resultados obtidos no nosso projeto regular, observando que a memória de células T CD8 parece obedecer a uma cinética ou ativação diferente, independente da participação de células B, nos linfonodos poplítios. Assim, os resultados decorrentes da geração de memória de CD8 necessitam ser avaliadas em mais detalhes, e fornecem a base desse projeto. Diante disto pretendemos avaliar a memória de linfócitos T CD8 e a importância de células B nesse processo.