Busca avançada
Ano de início
Entree

Estresse glicoxidativo e fluxo de lípides celulares - papel dos inibidores de glicação avançada

Processo: 07/51896-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marisa Passarelli
Beneficiário:Raphael de Souza Pinto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse oxidativo   Diabetes mellitus   HDL-Colesterol   Aterosclerose

Resumo

Produtos avançados de glicação(AGE)gerados no diabete melito (DM)estão associados com o desenvolvimento de aterosclerose. A glicoxidação, induzida pelo tratamento com açúcares dicarbonila ou albumina modificada por glicação avançada (alb-AGE), altera o fluxo de lípides celulares, por diminuir o receptor de HDL, ABCA-1. Isto reduz o efluxo de colesterol e contribui para seu acúmulo intracelular. Além disso, a alb-AGE, à semelhança de lipoproteínas glicadas, são mais captadas por macrófagos arteriais, contribuindo para o desequilíbrio entre a entrada e a saída dos lípides celulares. Os mecanismos intracelulares pelos quais os AGE diminuem a expressão dos receptores de HDL e aumentam a expressão dos receptores do tipo scavenger não estão esclarecidos, embora estudos recentes demonstrem maior geração de espécies reativas de oxigênio (EROs)como um dos principais fatores para estes danos celulares. O objetivo deste projeto é avaliar a influência da glicoxidação celular e de drogas inibidoras de glicação avançada e antioxidantes sobre a geração de EROs, a respiração mitocondrial, a concentração de ATP e a expressão de receptores envolvidos na captação e remoção de lípides em macrófagos. Os resultados permitirão elucidar mecanismos intracelulares, causados pela glicoxidação, envolvidos no balanço energético e no prejuízo da remoção de colesterol e acúmulo de lípides celulares. Tais eventos podem predispor à gênese e progressão da aterosclerose no PM e em outros estados de estresse carbonila, como a uremia e a inflamação. (AU)