Busca avançada
Ano de início
Entree

A formação dos estudantes de pedagogia para a educação inclusiva

Processo: 07/53237-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Tópicos Específicos de Educação
Pesquisador responsável:Sadao Omote
Beneficiário:Cristiane Regina Xavier Fonseca-Janes
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Inclusão escolar   Formação   Educação especial   Pedagogia

Resumo

A educação inclusiva é tida como uma educação de qualidade que deve ser oferecida pelo sistema educacional. Tem como objetivo além de oferecer os saberes sistematizados, acumulados ao longo da história da humanidade, também atender as diversificadas esferas sociais. Entretanto, pesquisas recentes demonstram que a maioria dos pedagogos não está entendendo a educação inclusiva como é discutida na literatura; mas, a inserção de pessoas com deficiências na classe regular. Vivemos um momento em que muitas transformações estão ocorrendo na escola e há uma preocupação com a formação do pedagogo, o que resta saber é como formar esse pedagogo para a mudança e, principalmente, para as diferenças. A partir dessa perspectiva, o presente projeto de pesquisa tem por objetivo analisar se os cursos de pedagogia da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP estão preparando os estudantes para a discussão e fundamentação da educação inclusiva, após as Diretrizes Curriculares Nacionais de 15 de maio de 2006. Para atingir tal objetivo, procurar-se-á: (1) realizar um levantamento teórico sobre a conceituação de educação inclusiva e formação de professores; (2) realizar um levantamento das matrizes curriculares e os projetos político-pedagógicos dos cursos de Pedagogia dos seis campi da UNESP e compará-los com o proposto pelas Diretrizes Curriculares Nacionais; (3) entrevistar os coordenadores do Conselho de Curso de Pedagogia de cada unidade, no período da reestruturação; (4) aplicar a escala LICKERT de Atitudes Sociais em relação à Inclusão (ELASI) aos coordenadores do Conselho de Curso de cada unidade; (5) aplicar questionário aos estudantes de pedagogia; (6) aplicar a escala LICKERT de Atitudes Sociais em relação à Inclusão (ELASI) aos estudantes de pedagogia; e (7) discutir e refletir os resultados. Dessa forma, parece-nos que este projeto de pesquisa poderá contribuir com as discussões sobre a formação de pedagogos para o grande desafio do século XXI, a educação inclusiva. No relatório da UNESCO de 1999 (MORIN, 2000; VIEIRA, 2002) estabeleceram-se os quatro pilares para a educação contemporânea, sendo eles: (1) aprender a conhecer (2) aprender afazer, (3) aprender a viver juntos e (4) aprender a ser. Aprender a conhecer, que não significa apenas o domínio do conteúdo, uma vez que hoje dispomos de tecnologia que propicia estratégias de acesso a informações em frações de segundos, mas aprender a exercitar os processos, habilidades e competências cognitivas, tais como, a atenção, a memória e as formas mais complexas do pensamento (VYGOTSKY, 1989, 1999; SEARLE, 1984, 1997; GARDNER, 1996; VAN GELDER, 1995; VARELA, 2001; VIGNAUX, 1991). Aprender a fazer, que é adquirir habilidades possibilitando as pessoas de trabalharem em equipe, enfrentando, assim, diversificadas situações oriundas de seu cotidiano. Aprender a viver juntos, que é a nosso ver, pode ser um dos objetivos da educação inclusiva, uma vez que concerne a respeitabilidade das divergências de (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FONSECA-JANES, Cristiane Regina Xavier. A formação dos estudantes de pedagogia para a educação inclusiva : estudo das atitudes sociais e do currículo. 2010. 228 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista (Unesp) Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília. Marília.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.