Busca avançada
Ano de início
Entree

Nefropatia cronica por ciclosporina-papel do acido urico e do sistema renina angiotensina aldosterona como mediadores de disfuncao endotelial, inflamacao e vasculopatia.

Processo: 07/55084-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2007
Vigência (Término): 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Jose Butori Lopes de Faria
Beneficiário:Fernanda Cristina Mazali
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Ciclosporinas   Inflamação   Ácido úrico

Resumo

No modelo de nefrotoxicidade pela ciclosporina, a hiperuricemia, que ocorre tanto como conseqüência da redução da taxa de filtração glomerular como da alteração do transporte tubular de urato, é um fator agravante da lesão histológica e funcional. A normalização dos níveis de ácido úrico provocaria uma reversão no quadro estabelecido de nefropatia crônica por ciclosporina. Para determinar se este efeito protetor é secundário à redução dos níveis de ácido úrico e não apenas efeito antioxidante do alopurinol, a utilização de um agente uricosúrico (benzbromarona) sem efeito sistêmico é necessária. Já foi demonstrado que a normalização dos níveis de ácido úrico, com duas drogas diferentes, um hipouricemiante (alopurinol) e um uricosúrico (benzbromarona), preveniu o desenvolvimento da nefrotoxicidade por ciclosporina; porém seu efeito sobre a nefropatia já estabelecida não é conhecido. Neste modelo de nefrotoxicidade crônica por ciclosporina ocorre elevação da atividade da renina, sugerindo a participação do sistema renina-angiotensina-aldosterona na fibrose renal. Para determinar este efeito serão utilizadas drogas bloqueadoras do sistema renina-angiotensina-aldosterona: enalapril (inibidor da enzima conversora de angiotensina II), losartan (antagonista de receptor de angiotensina II), e espironolactona (inibidor competitivo da aldosterona). Será avaliado se estas drogas possuem efeito protetor comparável, uma vez estabelecido o quadro de nefrotoxicidade por ciclosporina. Serão avaliados parâmetros funcionais (pressão arterial, função renal e fração de excreção de urato), morfológicos (através de imunohistoquímica para marcadores de inflamação, fibrose e células endoteliais), além de pesquisa de mRNA de sistema renina angiotensina aldosterona e stress oxidativo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MAZALI, Fernanda Cristina. Nefropatia crônica por ciclosporina : papel do ácido úrico e do sistema renina angiotensina aldosterona como mediadores de disfunção endotelial, inflamação e vasculopatia. 2011. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.