Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da dieta na variação de biomarcadores do stress oxidativo em indivíduos com dislipidemia

Processo: 07/01476-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Inar Alves de Castro
Beneficiário:Patrícia Borges Botelho
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomarcadores   Doenças cardiovasculares   Avaliação nutricional   Aterosclerose

Resumo

O stress oxidativo é caracterizado por um desequilíbrio no organismo entre compostos óxido-redutores, como as ERO e o sistema de defesa antioxidante. As ERO são átomos, moléculas ou íons que contêm oxigênio com um elétron não pareado em seu último orbital. Apresentam grande instabilidade e, consequentemente, elevada reatividade. As principais ERO distribuem-se em dois grupos, os radicalares: hidroxila (HO•), superóxido (O2 •−), peroxila (ROO•), hidroperoxila (HO2.) e alcoxila (RO•) e os não-radicalares: oxigênio, peróxido de hidrogênio e ácido hipocloroso. Desses, o mais reativo é o radical hidroxila, capaz de reagir rapidamente com metais ou outros radicais no próprio sítio onde foi produzido, causando a oxidação de lipídios, proteínas e DNA. A oxidação dos lipídios inclui a degradação de ácidos graxos com formação de hidroperóxidos e aldeídos. No organismo, a oxidação mediada pelas ERO ocorre nos lipídios transportados nas lipoproteínas causando modificação das mesmas. A oxidação das lipoproteínas, principalmente as LDL (lipoproteínas de baixa densidade), está associada ao desenvolvimento da aterosclerose. Diante do exposto, percebe-se que o stress oxidativo está diretamente associado a incidência e progressão das doenças cardiovasculares e pode ser acelerado ou retardado nos indivíduos em função de vários fatores, tais como a dieta. Nutrientes ingeridos por meio dos alimentos ou de suplementos podem apresentar ação pró ou antioxidante. Tratando-se de um sistema altamente complexo, pouco se sabe sobre a influência desses nutrientes na variação de biomarcadores oxidativos em populações de alto e baixo risco cardiovascular. Desta forma, uma vez delineadas essas duas populações, é preciso primeiramente identificar como os biomarcadores variam em um mesmo indivíduo ao longo do tempo para certificar-se da classificação destes em alto e baixo nível de stress oxidativo. Obtendo-se essa classificação, pode-se então, através do uso de técnicas multivariadas, buscar a associação entre os fatores dietéticos e as diferenças nos biomarcadores observados nessas duas populações. Neste estudo, vários biomarcadores (concentração de malondialdeído, tocoferol, ácido ascórbico e carotenóides no plasma, atividade das enzimas superóxido dismutase, glutationa peroxidase e catalase, atividade antioxidante total do plasma e oxidação da LDL in vitro) serão avaliados três vezes em cerca de 60 pacientes empiricamente classificados como de alto e baixo nível de stress oxidativo. Através da aplicação de inquérito alimentar qualitativo e quantitativo, fatores associados à ingestão de nutrientes serão correlacionados com a classificação dos pacientes confirmada pela análise multivariada baseada nos biomarcadores. Os resultados deste estudo permitirão verificar: (1º) a variabilidade desses biomarcadores num mesmo indivíduo quando a amostra de plasma é coletada em diferentes intervalos de tempo, (2º) se a classificação empírica atualmente empregada é confirmada pela classificação multivariada baseada no perfil dos biomarcadores e (3º) como a ingestão dietética de nutrientes e suplementos correlaciona-se com os biomarcadores avaliados.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BOTELHO, PATRICIA BORGES; FIORATTI, CYNTIA OKOSHI; ROGERO, MARCELO MACEDO; BARROSO, LUCIA PEREIRA; BERTOLAMI, MARCELO CHIARA; CASTRO, INAR ALVES. Association between diet and polymorphisms in individuals with statin-controlled dyslipidaemia grouped according to oxidative stress biomarkers. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 48, n. 1, p. 39-49, JAN-MAR 2012. Citações Web of Science: 1.
BOTELHO, PATRICIA B.; FIORATTI, CYNTIA O.; ABDALLA, DULCINEIA S. P.; BERTOLAMI, MARCELO C.; CASTRO, INAR A. Classification of individuals with dyslipidaemia controlled by statins according to plasma biomarkers of oxidative stress using cluster analysis. BRITISH JOURNAL OF NUTRITION, v. 103, n. 2, p. 256-265, JAN 28 2010. Citações Web of Science: 8.
CAPITANI, CAROLINE D.; CARVALHO, ANA C. L.; BOTELHO, PATRICIA B.; CARRAPEIRO, MARIANA M.; CASTRO, INAR A. Synergism on antioxidant activity between natural compounds optimized by response surface methodology. EUROPEAN JOURNAL OF LIPID SCIENCE AND TECHNOLOGY, v. 111, n. 11, SI, p. 1100-1110, NOV 2009. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.