Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação da apresentação antigênica por células dendríticas de monócitos humanos utilizando diferentes produtos virais do HIV: potencial de utilização em vacina terapêutica

Processo: 07/52454-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de agosto de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Gil Benard
Beneficiário:Guilherme Gomes Silveira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Células dendríticas   Proteínas virais   HIV   Vacinas   Transfecção

Resumo

Com base em estudo pioneiro que utilizou células dendríticas derivadas de monócitos pulsadas com vírus autólogo inativado para o tratamento de indivíduos cronicamente infectados pelo HIV, no qual foram obtidos resultados parcialmente satisfatórios (supressão sustentada da carga viral após um ano de tratamento em apenas metade dos indivíduos vacinados), o presente projeto propõe investigar a utilização in vitro de produtos virais do HIV alternativos para optimizar a apresentação antigênica por células dendríticas e a resposta protetora num maior número de indivíduos. Serão utilizados 4 diferentes produtos virais: (a) pool de vírus HIV inativado por AT-2, (b) plasmídeo com mutação em pol, (c) proteína gag e (d) plasmídeo quimérico DC-LAMP-gag). Devido ao caráter individualizado da proposta original, no qual foi utilizado vírus autólogo, consideramos que o uso de um antígeno padrão universalizado poderá trazer contribuições no sentido de simplificar o processo de produção da vacina, reduzir custos e ampliar o alcance de sua utilização. A utilização de plasmídeo expressando o genoma do HIV excetuando o gene pol, assim como a utilização de um componente altamente imunogênico e conservado do vírus (gag) permitirão aumentar a imunogenicidade do protocolo. Além disso o uso de ferramenta de direcionamento do processamento antigênico (DC-LAP-gag) poderá aumentar a eficácia da resposta imune elicitada pelas PC infectadas. (AU)