Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificacao dos papeis ocupacionais de pacientes com esquizofrenia.

Processo: 07/57686-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Jair Licio Ferreira Santos
Beneficiário:Tatiane Grigolatto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Esquizofrenia   Terapia ocupacional   Hospitalização

Resumo

A esquizofrenia é uma doença mental severa que exige cuidados constantes e específicos para os portadores e apoio para seus familiares. As internações, as restrições impostas, os vários remédios em horários rigorosos, são constantes e, diante de tantas exigências, a tendência é que o tempo do indivíduo para desempenhar e adquirir papéis ocupacionais, fica reduzido, pois é comum concluir que aspectos saudáveis não resistem ao adoecimento mental. Os papéis ocupacionais mudam no curso do desenvolvimento, sendo diferente nos vários estágios à medida que o indivíduo adquire novas habilidades e vivência situações diferentes. Os papéis ocupacionais referem-se aos papéis produtivos que definem a maior parte das rotinas diárias, arranjando assim, a maioria dos comportamentos dentro do ambiente, eles se fazem necessários na medida em que permitem uma orientação das atitudes de acordo com o contexto. Baseado na importância de se avaliar os papéis ocupacionais perdidos e os mantidos após o surto e durante a internação, como forma de direcionar as intervenções terapêuticas ocupacionais, esta pesquisa encontra sua relevância devido à escassa publicação sobre este assunto na literatura consultada, além da inexistência de estudos de Terapia Ocupacional com a sistematização do comportamento nestas condições. Portanto este trabalho poderá propiciar subsídios para futuras intervenções nesta população, além de enfatizar a importância de mais pesquisas sobre instrumentos de Terapia Ocupacional aplicáveis na saúde mental, especialmente sobre as particularidades desta condição durante a hospitalização. (AU)