Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos mecanismos de supressão da resposta imune induzida pela crotoxina do veneno de Crotalus durissus terrificus

Processo: 07/57105-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Eliana Faquim de Lima Mauro
Beneficiário:Renata Ricardi
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Imunomodulação   Crotoxina

Resumo

Os envenenamentos por serpentes da espécie Crotalus durissus terrificus (Cd.) se destacam dos demais pelo seu alto índice de letalidade na ausência de soroterapia. Dentre as subespécies de cascavéis a C. d. terrificus é responsável por grande parte dos acidentes relatados no Brasil. Além das alterações no sistema de coagulação, ação neurotóxica e miotóxica observadas nos acidentes por Cd. terrificus, trabalhos têm revelado um importante efeito supressivo deste veneno sobre o sistema imune, resultando na baixa produção de anticorpos antígenos-específicos, inibição da atividade fagocítica de macrófagos, da proliferação de esplenócitos e, quando administrado antes da imunização com antígeno heterólogo, inibição da produção de anticorpos contra este antígeno. Em nossos estudos, observamos que a administração do veneno/crotoxina de Cd. terrififcus durante a geração da resposta imune induzida por soro albumina humana (SAH) em Aldrox ou Adjuvante Completo de Freund (ACF) resultou na inibição da produção de anticorpos SAH-específico e da resposta proliferativa das células obtidas desses camundongos. Verificamos ainda, que este efeito do veneno/crotoxina não é devido à indução de morte celular. Sabe-se que a indução da resposta imune mediada por linfócitos T e B com a produção de anticorpos antígeno- específicos é dependente da prévia ativação das células da imunidade inata, como macrófagos e células dendríticas (APCs). Portanto, o objetivo do projeto é investigar o mecanismo de supressão da crotoxina de Cd. terrificus nas células apresentadoras de antígeno, avaliando a participação de citocinas anti-inflamatórias com IL-10 e TGF beta, da prostaglandina E2 e da enzima indoleamina 2,3- dioxigenase neste processo. Esses resultados são fundamentais no esclarecimento dos mecanismos de ação dos venenos de serpentes no sistema imune, podendo no futuro abrir novas perspectivas de utilização desses componentes com ação imunossupressora. (AU)