Busca avançada
Ano de início
Entree

Óxido nítrico, gstp-1 e p53: papel desses biomarcadores e suas correlações com as afecções prostáticas no cão

Processo: 07/57770-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Renee Laufer Amorim
Beneficiário:Giuliana Brasil Croce
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Imuno-histoquímica   Próstata   Biomarcadores   Óxido nítrico   Cães

Resumo

A interação entre processo inflamatório e câncer é conhecida e se baseia na secreção de citocinas pelas células inflamatórias, que favorece a multiplicação celular, angiogênese, linfogênese e restrição à apoptose. Lesões pré neoplásicas da próstata humana foram descritas como PIN e PIA e são importantes no diagnóstico precoce do câncer. Nos caninos a PIN foi descrita pela primeira vez por Waters & Bostwick (1997) e nosso grupo de estudo de próstata canina reconheceu a alta freqüência de PIA. A associação com a inflamação crônica sugere que a PIA é resultado de uma proliferação regenerativa das células epiteliais em resposta à injúria causada pelos oxidantes inflamatórios. A relação funcional entre inflamação e câncer não é nova. Independente da etiologia, processos inflamatórios incitam a carcinogênese através de danos celulares e no genoma. Ambas, proliferação e regeneração cessam depois que o agente agressor é removido ou o reparo tecidual completado. Em contraste, células proliferativas que mantém o dano e/ou mutação, continuam a se desenvolver em microambientes ricos em inflamação e fatores de crescimento. Estas células inflamatórias podem produzir espécimes reativas de oxigênio e nitrogênio. O estresse oxidativo crônico resulta em peroxidação de lipídeos e geração de outros produtos com potencial de dano ao DNA Este trabalho tem por objetivo avaliar a expressão de oxido nítrico como causador de atípias no epitélio prostático, correlacionando-o com a imunomarcação de genes "protetores" como o p53 e GSTP-1, para tal, serão coletadas próstatas de cães encaminhados ao Serviço de Patologia Veterinária da FMVZ - UNESP, Botucatu, as quais serão pesadas, medidas, clivadas, processadas, coradas pelo método de H&E e posteriormente será utilizada a técnica de imunoistoquímica, seguindo o protocolo do laboratório. Os cinco grupos de diagnósticos serão estabelecidos sendo: Grupo I: Animais com próstata normais (Grupo controle); Grupo II: Animais com hiperplasia prostática; Grupo III: Animais com PIN; Grupo V: Animais com adenocarcinoma prostático. Os dados serão analisados e aplicados sob orientação pelo departamento de Estatística da UNESP – Botucatu. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CROCE, Giuliana Brasil. Óxido nítrico, GSTP-1 e P53 : qual o papel desses biomarcadores e suas correlações com as afecções prostática no cão?. 2010. 86 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu. Botucatu.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.